spot_img
quarta-feira, maio 22, 2024

Últimos Posts

O hip hop da West Coast

West Coast hip hop é um subgênero do rap – que engloba artistas ou músicas que se originam na região da Costa Oeste dos Estados Unidos. O subgênero do gangsta rep (conheça os 80 subgêneros do rap AQUI) começou a dominar a partir do ponto de vista da rádio e do ponto de vista das vendas no início da década de 1990 com o nascimento do G-Funk e o surgimento de Suge Knight e Dr. Dre, ambos da Death Row Records.

História

Primeiros anos

Alguns acreditam que os cinco elementos da cultura hip hop — b-boy, beatbox, DJ, grafite e MC — iniciaram-se nas Costas Leste e Oeste dos Estados Unidos simultaneamente em meados dos anos 70. Esta teoria corre em oposição à crença, mas geralmente aceita de que os elementos fundamentais do hip hop nasceram e cultivavam exclusivamente na Costa Leste, especificamente na cidade de Nova York, nas primeiras fases da cultura. Embora seja dito que o hip hop tenha recebido seu nome em Nova York, alguns dizem que a cultura se emergiu na Costa Leste, indo de Los Angeles para a área da baía de São Francisco durante o mesmo período. A cultura é amplamente considerada como uma criação mútua que evoluiu a partir da interação entre pessoas que se identificaram com elementos de suas respectivas costas.

Uma série de eventos lançaram as bases para o hip hop da Costa Oeste, muito antes do surgimento de reppers da Costa Oeste, como Eazy-E, Ice T e Too Short. De acordo com geniusrap.com, “um evento cataclísmico ajudou a dar origem a ele no Oeste: as Rebeliões em Watts de 1965”. Em 1967, Bud Schulberg fundou um espaço criativo chamado Watts Writers Workshop, destinado a ajudar o povo do bairro de Watts e proporcionar um lugar para que eles se expressassem livremente. Desta forma, os Watts Prophets se formaram, seus membros se mudaram para a Costa Oeste de estados do sul, como Texas e Louisiana.

A cena do hip hop da Costa Oeste começou com seriedade em 1978 com a fundação do Unique Entertainment, um grupo influenciado por Prince, hip hop da Costa Leste, Kraftwerk e Parliament-Funkadelic. Em 1980, o grupo era conhecido como os melhores promotores de festa em Los Angeles.

Outro marco inicial ocorreu em 1981, quando Duffy Hooks edificou o primeiro selo de rep da Costa Oeste, Rappers Rapp Records, inspirado em Sugar Hill Records em Nova York. Seu primeiro trabalho foi com a dupla do disco Daddy e do Capitain Rapp, cujo primeiro single foi “Gigolo Groove”. Em 1983, o Captain Rapp criou a clássica música da Costa Oeste “Bad Times (I Can not Stand It)”.

Em meados da década de 1980, o Mixmaster Spade definiu uma forma precoce de fazer gangsta rep com seu Compton Posse. A partir deste grupo, Spade orientou futuras estrelas de rep da Costa Oeste, incluindo Toddy Tee, que gravou o hino do Centro Sul de LA “The Batteram” em 1985.

No mesmo período, o antigo bailarino de bloqueio Compton, Alonzo Williams, formou World Class Wreckin’ Cru, que incluía os futuros membros do N.W.A, Dr. Dre e DJ Yella. Williams também fundou a Kru-Cut Records e estabeleceu um estúdio de gravação na parte de trás de sua boate Eve’s After Dark. O clube era onde o traficante local de drogas Eazy-E conheceu Jerry Heller e decidiram começar a Ruthless Records, onde Dr. Dre e DJ Yella montaram o grupo CIA, que incluiu o futuro membro do N.W.A, Ice Cube e Laylaw, que é primo de Dr. Dre, Sir Jinx e K -Dee.

Durante este período, um dos maiores fatores da propagação do hip hop da Costa Oeste foi a estação de rádio 1580 KDAY e DJ GregMack AttackMack.

Após 1980—1990

Em 1988, o álbum de referência do N.W.A, “Straight Outta Compton”, foi disponibilizado. Concentrando-se na vida e adversidades em Compton, Califórnia, uma área notoriamente acidentada que ganhou uma reputação de violência de gangues, droparam pela gravadora de Eazy-E, Ruthless Records. Além de estabelecer uma base para a popularidade do gangsta rep, o álbum chamou muita atenção para o hip hop da Costa Oeste, especialmente na área de Los Angeles. Em particular, a controversa faixa “Fuck tha Police” e a censura que se seguiu atraíram uma cobertura substancial da mídia e atenção do público. Após o fim do N.W.A devido à conflitos entre membros, os membros do grupo, Eazy-E, Dr. Dre, Ice Cube e MC Ren, mais tarde, se tornaram artistas solos de platina na década de 1990. O Ice Cube dropou um dos álbuns mais aclamados da Costa Oeste, como o “AmeriKKKa’s Most Wanted” (1990) e o “Death Certificate (1991), além de fazer aparições no cinema e na televisão, como no lendário filme “Boyz n the Hood, de John Singleton, em 1991.

O início dos anos 90 foi um período em que o hip hop passou de força em força. O álbum de estreia de 2Pac, “2Pacalypse Now”, saiu em 1991, demonstrando uma consciência social, com ataques a injustiça social, pobreza e brutalidade policial. A música e a filosofia de 2Pac foram enraizadas em várias filosofias e abordagens, incluindo o Partido das Panteras Negras, o nacionalismo negro, a igualdade e a liberdade.

Suge Knight

Também em 1991, Suge Knight fundou a Death Row Records usando o dinheiro que extorsionava do repper popular Vanilla Ice, e a Costa Oeste viabilizava o fracasso do seu mais influente e popular repper. Em 1992, Dr. Dre dropou sua estreia solo, “The Chronic”; isso marcou o nascimento do som G-Funk que se tornou uma marca registrada do som da Costa Oeste na década de 1990, com o single principal do álbum “Nuthin’ But a ‘G’ Thang”, brotando na posição #2 no Billboard Hot 100. Outros álbuns foram disponibilizados, como o “Doggystyle” de Snoop Doggy Dogg (1993) e o “All Eyez On Me” (1996) de 2Pac tornaram-se grandes vendedores e também foram aclamados pela crítica.

A popularidade do hip hop foi, indubitavelmente, assistida pela rivalidade resultante entre a Death Row Records e a Bad Boy Records da Costa Leste, liderado por Puff Daddy e The Notorious B.I.G. A rivalidade East vs. West ganhou atenção especial quando 2Pac foi baleado em 30 de Novembro de 1994, fora da Quad Recording Studios em Nova York, coincidentemente onde Biggie Smalls e Puff Daddy estavam gravando nesse dia, o que levou 2Pac a acusá-los de terem planejado. As ascensões das tensões ficaram no máximo nos Grammy Awards em 1995, com artistas de ambos os lados fazendo comentários indiretos sobre o outro.

O assassinato de 2Pac em 13 de Setembro de 1996 foi um grande ponto de explosão para o hip hop como um todo. Ele tinha sido o repper mais popular da Costa Oeste e entre os mais aclamados pela crítica. Após sua morte e a prisão de Suge Knight, Death Row Records — uma vez que era um lugar de conforro para a maioria dos principais reppers da Costa Oeste — caiu na obscuridade. A morte do repper da Costa Leste e ex-adversário de ’Pac, The Notorious B.I.G., foi uma finalização da rivalidade West-East que haviam conflitado hip hop durante a década de 1990. A cena da Costa Oeste lentamente começou a desaparecer do mainstream no início dos anos 2000, enquanto os fãs passavam mais para a Costa Leste, com novos artistas, como 50 Cent, chegando à frente com veteranos como Nas e Wu-Tang Clan. Além disso, o hip hop do sul atingiu o mainstream no início dos anos 2000.

The Notorious B.I.G.

2000—2010

A posição do hip hop da West Coast no mainstream diminuiu muito no final dos anos 90 e 2000, com poucas exceções notáveis, como o álbum de 1999 de Dr. Dre, “2001”.

O repper da área da baía, Too Short, já conhecido por suas colaborações com artistas como 2Pac e Notorious B.I.G., encontrou um novo contrato de vida com a cena, dropando seu 16º álbum de estúdio “Blow the Whistle” em 2006 estreando no número #14 no Billboard 200. Logo The Game também chamou a atenção para a Costa Oeste com seu álbum de dupla platina, “The Documentary”,  assim como o álbum “Restless de Xzibit e o álbum de armas de ouro “Man vs. Machine e “Weapons of Mass Destruction”. Artistas da década de 1990, como Snoop Doggy Dogg e Ice Cube e grupos como Tha Dogg Pound e Westside Connection, continuaram a dropar álbuns ao longo dos anos 2000, mas não obtiveram o mesmo nível de fama que experimentaram na década de 1990.

O produtor DJ Mustard foi o pioneiro do movimento de música de “ratchet”, um estilo de produção que se transformou em algo principal. DJ Mustard desempenhou um papel em trazer o hip hop da Costa Oeste de volta à atenção nacional através dos anos de 2010. Ele ganhou grande popularidade ao longo de 2011 a 2014, produzindo uma série de singles de artistas populares, incluindo o “Rack City” de Tyga, o “I’m Different”, o “R.I.P” de Young Jeezy, o “HeadBand” de B.o.B, o “My Nigga” e “Who Do You Love?” de YG, “Paranoid” de Ty Dolla $ign, “Show Me” de Kid Ink, e “Na Na” de Trey Songz. Mustard também dropou sua melodia de estreia, Ketchup, em 2013, solidificando ainda mais o seu som de ratchet, que segue seus predecessores G-funk e hyphy.

Como resultado, com o ressurgimento do hyphy e a progressão do movimento de ratchet até 2010, a Costa Oeste gerou reppers comercialmente bem-sucedidos como Tyga, Jay Rock, Droop-E, Sage the Gemini e Iamsu! do The HBK Gang, YG, Kid Ink, Nipsey Hussle, Dom Kennedy, Ty Dolla $ign, DJ King Assassin, Dizzy Wright e Problem. Ao mesmo tempo, o hip hop alternativos também começou a ganhar força ao longo da cena do hip hop da Costa Oeste, como Tyler, The Creator e o coletivo Odd Future. Além disso, os artistas do hip hop que são mais socialmente conscientes e se concentram mais nos aspectos líricos do hip hop também aumentaram de patamar, como as atuações do solo Hopsin e de grupo como Black Hippy, entrando no mainstream e dropando uma série de projetos aclamados pela crítica e álbuns comerciais bem sucedidos.

A disponibilização de “Black Hippy”, Kendrick Lamar disponibilizou em 2012 o emblemático álbum “Good Kid, M.A.A.D City, que foi recebido com críticas favoritas. O álbum foi nomeado Álbum do Ano no 56º Prêmio Grammy Anual, marcando a primeira vez que a cena do hip hop da West Coast foi nomeado para o prêmio. Em 2014, Schoolboy Q estreou no #1 no Billboard 200 com 139.000 cópias vendidas com “Oxymoron. O “My Krazy Life” de YG estreou no #2 no Billboard 200 com 61.000 cópias vendidas.

Manancial: Wikipedia

ÚLTIMOS POSTS

Não Perca