Home EditorialDinossaurosRAP Disco Rap: “As Aparências Enganam” do grupo Jigaboo

Disco Rap: “As Aparências Enganam” do grupo Jigaboo

por Jefferson Ferreira

Em 1999 o grupo Jigaboo colocou na rua seu trabalho, o icônico álbum “As Aparências Enganam” lançado pela Virgin Records e com produção de Rick Bonadio, o que gerou criticas de setores mais conservadores do rap, além disso o trio formado por P.MC, DJ Deco e Suave flertavam com o rock, e tinham letras que transitavam entre o lírico do underground e o gangsta que era o mainstream da época.

O disco contou com as participações de Tio Fresh, do SP Funk e de MCA, do Doctor’s MC’s na faixa “Agora É A Sua Vez”, da banda O Surto na música “Para de Falar”, e do Charlie Brown JR em “Vai pirar”, que teve videoclipe vinculado na MTV e foi indicado para o Prêmio VMB do ano 2000, na categoria “Melhor Videoclipe de Rap”, essa é a quarta contribuição entre os artistas, em 97 P.MC e Deco participaram da faixa “Lombra” no disco da banda santista “Transpiração Continua Prolongada” e repetiram a dose em mais duas faixas do álbum de 1999, “Preço Curto Prazo Longo”, em “12 + 1” e “Deu Entrada Pra Subir”.

Outra participação foi a dos internos da FEBEM, na faixa “Realidade”, música que leva nome de projeto que P.MC desenvolve com os jovens desde 1997, e na ocasião foi composta pelo rapper e 42 adolescentes das unidades do Complexo do Tatuapé. A música foi muito executada nas rádios do segmento em todo país, como a 105 FM, de Jundiaí, no Programa Espaço Rap.

Outro grande sucesso foi a música “Corre Corre”, que aborda a truculência policial, e também foi muito executada nas rádios, para o álbum a música teve duas versões, a hip hop mix e rádio edit. Nesse disco, o Jigaboo manda uma diss para Gabriel, o Pensador, na faxa “Tá Pensanduquê”, comandada pelo rapper Suave.

O álbum “As Aparências Enganam” é um disco de hip hop em sua essência, pois traz a versatilidade de P.MC que é b.boy e MC e cede uma faixa para o Dj fazer sua performance e mostrar todo seu potencial, em “Deco Murphy Na Área”, que inclusive também rima em algumas faixas, como “Para de Falar” e “Continua Sendo Nosso”. Essa última umas das mais tensas do álbum, ao lado de “Favela É Favela”, mostrando a veia gangsta do grupo.

Porém o Jigaboo se destacou mais pela sua ironia e jeito debochado de rimar, como nas músicas “Fim do Mundo” e “Doideira”. O estilo influenciou toda uma cena e somado a outros grupos do período iniciou uma revolução no rap nacional, alterando sua temática e técnicas de composição, produção e forma de cantar.

As Aparências Enganam” é um ótimo disco de rap e vale a pena dar uma conferida nesse clássico:

Você pode gosta

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações