spot_img
sexta-feira, julho 19, 2024

Últimos Posts

Mykki Blanco lança novo single, “Summer Fling”, ft. Kari Faux

Pronto para o calor? Mykki Blanco e Kari Faux trazem os fantasmas do Y2K até o século 21 em sua nova faixa “Summer Fling”, que foi inspirada na produção musical do milênio de Missy Elliot e Timbaland.

Mykki revela: “Eu queria que ‘Summer Fling’ parecesse uma música que eu poderia ter ouvido no meu baile do ensino médio, talvez porque aqueles foram os anos em que eu estava amadurecendo. A estética do Y2K ainda me influencia fortemente em algum ponto da criação de minhas músicas. Eu sempre sinto que a vibe Y2K assombra seu caminho para dentro da sala e faz sua presença ser sentida em meus discos. “Summer Fling” é essencialmente sobre dar um perdido em alguém, é uma música divertida sobre os altos e baixos estranhos do namoro. Eu adorei escrever essa música, e ficou ainda melhor quando recrutei a rapper e vocalista Kari Faux para estar na faixa. A entrega de Kari é lisa e carregada, ela não faz prisioneiros com seus compassos. Ela adiciona uma camada de bravata e mística feminina à música. Além do verso que ela escreveu, ela também contribuiu para escrever o gancho.”

Ouça “Summer Fling” nas plataformas digitais.


Summer Fling” é o último single à frente do tão aguardado mini-álbum de Mykki, “Broken Hearts & Beauty Sleep”, que será lançado pela Transgressive Records em 18 de junho de 2021 em todos os serviços de streaming. (Pré-encomendar/salvar AQUI). Os formatos físicos estarão disponíveis em 1º de outubro de 2021. É o primeiro lançamento oficial de Blanco em quase cinco anos desde seu álbum de estreia, Mykki.

Passou-se pouco mais de uma década desde que o apelido ‘Mykki Blanco‘ foi criado – primeiro como um projeto de videoarte retratando uma personagem feminina adolescente postando vlogs e raps nas redes sociais, mas inevitavelmente evoluiu para um veículo de autodescoberta na jornada da artista de formar sua auto identidade pessoal.

Mykki levou o hip-hop a alguns de seus limites mais sem amarras, combinando ruídos e elementos experimentais com sons de club e trap, ao mesmo tempo que forjou um caminho exclusivamente subversivo, dentro de um gênero historicamente enredado em uma teia ideológica problemática de misoginia, homofobia e transfobia. E embora Blanco tenha sido amplamente reconhecida por liderar a carga como uma pioneira no chamado subgênero ‘rap queer’, a música deste próximo capítulo de sua carreira representa uma evolução musical significativa para erradicar os limites das categorias de gênero, e destruindo a percepção anterior de seu potencial alcance.

ÚLTIMOS POSTS

Não Perca