spot_img
domingo, junho 23, 2024

Últimos Posts

Max B.O. celebra os caminhos percorridos ao longo da vida em “Estrada Aberta”

Uma viagem do mundo interior ao mundo exterior, percorrendo todos desafios, prazeres e batalhas que travamos ao longo da vida. Esse é o fio condutor de “Estrada Aberta”, novo álbum do rapper Max B.O. que esta disponível em todas as plataformas digitais. Com participações de KamauMagrãoRavi Lobo e Ajuliacosta, o disco foca em um rap mais cru, conectado ao Boombap e se mostra como uma verdadeira reverência ao Orixá Ogum, responsável por abrir caminhos com sua espada enquanto guia e protege seus filhos.

Feito a quatro mãos, o disco “Estrada Aberta” foi criado por Max B.O. em conjunto com o produtor musical e beatmaker Noturno 84 na cidade de São Paulo ao longo de todo o segundo semestre de 2023, enquanto o rapper participava das eliminatórias do Samba Enredo da escola Vai Vai. Alinhados no conceito de caminhos abertos, sempre em busca de novas direções, os artistas contam, ainda, com a colaboração do DJ Nato PK na construção de refrões, colagens de falas e na conexão das faixas entre si.

https://open.spotify.com/intl-pt/album/2UX5rwnIfgT2biioB2vxoF?si=ZZc7ovvqQFq0_kHelmIjMA

A ideia central deste trabalho são as estradas, becos e vielas que percorremos, desafios que enfrentamos interna e externamente. A concepção artística visual é pautada na natureza e em parâmetros estabelecidos entre o velho e o novo, como as situações vividas por nossos antepassados são parecidas com as que vivemos em tempos atuais, como se os tempos fossem outros, mas as questões as mesmas. A busca por auto afirmação, o racismo que sofremos, como vemos e como somos vistos. A sonoridade está especialmente conectada com a raiz do rap, voz e batida.

Diferente de “O.M.M.M.” (2019), trabalho anterior de Max B.O. no qual a produção partiu de batidas abertas à participação de diversos músicos, “Estrada Aberta” busca uma forma mais tradicional de fazer Rap. Além da sonoridade em si, as referências para a construção de sua identidade visual navegam entre o disco “Brava Gente” de Thaíde & DJ Hum e “Piñata” de Freddie Gibbs e Mad Lib, como uma forma de resgatar a ideia de estrada ilustrada pelo caminho de Ogum no primeiro disco, e pela união de um MC e um beatmaker apresentada pelo segundo disco.

Quero que as pessoas se vejam nesse trabalho e que ele traga novos horizontes para quem estiver ouvindo, como uma estrada a ser percorrida, em busca de novas estações, novas paradas. Esse álbum é pra quem gosta de conhecer outros caminhos e de se conhecer, de buscar novas paisagens. Vai do que a gente sente aqui dentro do corpo ao que a gente vê quando desbrava o mundo. Desejo transmitir às pessoas a sensação de pertencimento sobre o caminho que percorremos durante nossa existência.

Estrada Aberta” conta a produção musical de Max B.O. em parceria com Noturno 84, também responsável pela mixagem e masterização do disco, além da produção executiva de Juliana Melo.

ÚLTIMOS POSTS

Não Perca