Home Rap Nacional Marcão Baixada lança novo single e videoclipe de “Meu Melhor Rap Do Ano”
Marcão Baixada - Meu Melhor Rap Do Ano

Marcão Baixada lança novo single e videoclipe de “Meu Melhor Rap Do Ano”

por ZonaSuburbana

Retornando da melhor maneira possível, o rapper, compositor e produtor premiado, influenciador e agitador cultural de destaque na região da Baixada Fluminense, Marcão Baixada lançou seu novo single, “Meu Melhor Rap Do Ano”, na última sexta-feira (31), com produção executiva do selo Mondé.

O lançamento vem acompanhado de um clipe vertical dirigido por Higor Cabral (que dirigiu, também, os clipes de “Te Levar Pro Cantin” e “Tô Presa Em Casa”, de MC Rebecca; e do sucesso no TikTok, “Eu Nunca, Eu Já”, da revelação do funk, Angel). No vídeo em preto-e-branco, Marcão surge usando máscara enquanto caminha por uma rua deserta, prestes a performar sua música nova. Ao fim da obra, o clipe traz uma breve mensagem e faz homenagem a Diego Mc, cantor que fez inúmeras colaborações com o artista e faleceu em abril deste ano, vítima da Covid-19. A descrição do vídeo informa que toda a produção foi realizada seguindo os protocolos de prevenção ao novo coronavírus. 

Em “Meu Melhor Rap Do AnoMarcão traz algo completamente diferente do que já foi lançado em sua carreira, decidido a demonstrar sua insatisfação com o “mais do mesmo” presente no atual momento do cenário do Rap brasileiro, que repete fórmulas bem-sucedidas; onde o sucesso é medido com parâmetros não saudáveis. 

Neguim, responsável pela produção do hit “Chefe do Crime Perfeito”, de Filipe Ret; e DJ LN (conhecido por colaborações com Kayuá, Sant e a gravadora Tudubom Records) se juntam a Marcão neste thriller, preenchendo as camadas com uma linha melódica de synths que trazem à tona toda a tensão da faixa, somada a saturação nos sub-graves 808 e suas variações com notas altas, que remete a execução de um riff de guitarra.

Na letra, o rapper dispara: “Se eu não tiver ice, glock, ou 1 milhão de views no YouTube, / nego, eu tô f*dido / Vou passar batido”. Cada linha é um golpe que avança e nos revela para onde ele está indo, ou melhor, de onde ele vem: “E onde eu moro, cês ficam perdido / Perigo / Eu vivo num ambiente tóxico / […] Corpos tão boiando nesse córrego”. 

Você pode gosta

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações