Home Editorial Confira o mini-doc “O Deejay no Movimento Hip Hop: o toca-discos como instrumento musical”
O Deejay no Movimento Hip Hop: o toca-discos como instrumento musical (Mini-Doc)

Confira o mini-doc “O Deejay no Movimento Hip Hop: o toca-discos como instrumento musical”

por ZonaSuburbana

O mini-documentário “O DeeJay no Movimento Hip Hop: O toca-discos como instrumento musical” foi idealizado por DJ Deco Groove a Quilo” (DJ, Beatmaker e educador musical) e Ana Sthel (Batuqueira e também educadora musical). Desenvolvido entre o final de 2020 e começo de 2021 em meio a pandemia da Covid-19 e financiado pela Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc do município de Itajaí – SC, o documentário mostra de forma didática e fluida as principais técnicas responsáveis pela transformação do aparelho toca-discos, que em um primeiro momento foi criado apenas para reproduzir músicas pré-gravadas em discos de vinil, em um instrumento musical que se assemelha a qualquer outro mais tradicional, como por exemplo, uma bateria ou uma guitarra.

André Luís, também conhecido como DJ Deco Groove a Quilo (DJ), O Coletor de Amostras (Beatmaker) e Sopro Inverso (MC), além da disposição artística para criar codinomes é formado em Licenciatura em Música pela Universidade do Vale do Itajaí e atua como professor no ensino básico desde 2014. Apesar de ter uma carreira de DJ com mais de 18 anos, composta por práticas musicais de discotecagem em festas e também como instrumentista em bandas de gêneros diversos, foi como MC em um grupo de Rap, na cidade de Campinas-SP que teve seu primeiro contato autoral com este gênero. É um apaixonado pela cultura Hip Hop e é fã de Rap desde seus primeiros gritos no Brasil no início dos anos 90. Como DJ e mais tarde como professor de Musicalização, André colecionava dificuldades para explicar aos curiosos que não possuíam muita familiaridade com a cultura Hip Hop, como o DJ “misturador de sons” ou “Turntablist” (termo norte-americano criado em 1995 pelo DJ Babu) tornou-se um instrumentista através do desenvolvimento e aperfeiçoamento de técnicas para a manipulação do áudio através dos toca-discos e mixer. Diferente daqueles DJ’s que apenas reproduzem o som como um serviço de streaming.

Motivo de estudo para os idealizadores deste projeto durante muitos anos, inclusive na graduação de ambos, toda a discussão que permeia as descobertas em relação ao processo evolutivo inegável ao qual o toca-discos passou submetido junto ao movimento Hip Hop, só teve em 2020 a oportunidade de ser transformado em algo que fizesse sentido para, principalmente, a população que não tem ideia de como é a prática musical de um DJ manipulador de áudio. O movimento Hip Hop (com a roupagem estética que conhecemos hoje) e consequentemente o movimento “Turntablism” teve seu início nos Estados Unidos no final da década de 1970 / início dos 80 e só se manifestou de maneira mais enfática no Brasil no início de 1990, portanto, com um delay de 10 anos. O Hip Hop brasileiro tem mais ou menos 30 anos de vida e historicamente falando, isso é um sopro de tempo. O mini-doc “O Deejay no Movimento Hip Hop: O toca-discos como instrumento musical” é mais um parágrafo no grande livro do Hip Hop, que ainda está sendo escrito, e conta a história de como o equipamento Toca-discos se tornou um instrumento musical e o DJ um instrumentista.

Você pode gosta

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações