Home Rap Nacional Assista “Cypher Kidz” com Damyen MC, Cauan, Kunumi MC, MC Tum Tum, MC Mirim e MC Soffia

Assista “Cypher Kidz” com Damyen MC, Cauan, Kunumi MC, MC Tum Tum, MC Mirim e MC Soffia

por Dj Abraão

Cypher Kidz” primeira cypher formada apenas por crianças, conta com Damyen MC, Cauan, Kunumi Mc, MC Tum Tum, MC Mirim e MC Soffia. A cypher fala sobre a importância dos jovens para o futuro do rap no Brasil.

A produção musical foi desenvolvida pelo MW STUDIO e a direção do clipe é assinada pelo diretor Vras77, com co-direção de Anna Julia Bitelli.

“Quando me chamaram para fazer a cypher achei muito legal, principalmente porque todos são meus amigos, já cantaram no meu show. A gente brinca, canta, tudo junto. Eu adorei!”, comenta MC Soffia.

Confira:

Damyen MC: Com 12 anos, canta desde os 4 anos, onde participava do grupo do seu pai. Já com 8 anos começou a cantar profissionalmente em carreira solo. E em 2017 gravará seu primeiro disco.

Cauan: Aos 13 anos, canta desde os 5 anos e já participou dos programas: Eliana, Raul Gil, Silvio Santos, Astros, Teleton entre outros. Lançou seu primeiro disco que contou com as participações de Ndee Naldinho, Inquérito, Sombra, Dexter, Caju e Castanha, Erick 12 e Dj Bola 8 (Realidade Cruel).

Kunumi MC: Jeguaka Mirim tem 15 anos, é do povo guarani, da aldeia Krukutu. É escritor, palestrante, cantor e compositor.

MC Tum Tum: João Victor, 13 anos, iniciou no rap em 2008 pelo Futuro do Hip Hop, projeto que atua até hoje. Sua influência musical, incentivada pela família, vem desde a infância. Atualmente está escrevendo duas próprias para futuro lançamento de um EP.

MC Mirim: Pedro Henrique Silva Rocha, gravou dos 4 aos 9 anos seu primeiro disco chamado “Versos Impactantes”, que deu origem aos seus 3 primeiros clipes. Em 2017, com 11 anos, está gravando seu segundo disco de autoria própria, com o apoio da produtora e fonográfica A Banca.

MC Soffia: Aos 12 anos, a rapper já é nacionalmente conhecida por seu posicionamento engajado, letras que abordam temas fortes e, apesar do toque infantil, carrega em suas composições uma maturidade ímpar. Paulistana, se viu projetada ao mundo quando junto de sua “madrinha da músicaKarol Conka, dividiram o palco na abertura das olimpíadas.

Você pode gosta

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações