Home Editorial São Paulo: A Xenofobia e seu exemplo cotidiano

São Paulo: A Xenofobia e seu exemplo cotidiano

por Dj Cortecertu
Cartaz com grupo Santa Mala é pichado no centro da capital paulista

O Brasil abriga 1.847.274 imigrantes regulares, segundo estatísticas da Polícia Federal atualizadas em março de 2015 e publicadas na revista Exame. Nos primeiros dias do mês de julho, rolou a sétima edição do Fórum Social Mundial das Migrações, evento que debateu as políticas de imigração em diversas partes do planeta. O combate ao crescimento da xenofobia também foi questão central do fórum.

Santa Mala Ofensa

Cartaz do grupo Santa Mala pichado. (Foto DJ Cortecertu)

O lance que me deixou bolado foi a pichação sobre um cartaz que fizeram no centro de São Paulo, perto da avenida São João. Com os dizeres “Nenhum direto a menos para imigrantes. Aqui vivo, aqui voto”, o cartaz do Fórum Social Mundial das Migrações (FSMM) estampa a foto das bolivianas do grupo Santa Mala. Dias atrás, além de receber um grande X no rosto de uma das MCs, o cartaz também ganhou as frases “Bich (sic), go home! Fuck You!”.

Muitos podem dizer que é um fato isolado, “coisa sem tanta importância”,  mas não podemos esquecer que o conservadorismo, o fascismo e a xenofobia caminham juntos entre integrantes de uma parcela da população paulistana, um grupo que não está nada feliz com os avanços da população que vive no rodapé da pirâmide social.

As minas do Santa Mala representam o rap combatente, som que tem os direitos humanos como norte, atitude que incomoda muita gente…dentro e fora do hip hop.

logogesp

Todo loq fue EN El forun social mundial das, las migraciones Un plaser conoser personas de diferentes países del mundo y gracias portodo El apoyo

Publicado por SANTA MALA em Domingo, 10 de julho de 2016

Você pode gosta

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações