Home Editorial Apesar de ter valor cultural e social, o rap sempre foi estigmatizado

Apesar de ter valor cultural e social, o rap sempre foi estigmatizado

por ZonaSuburbana


Para contribuir no debate atual sobre a cena rap, a coluna Robotafavil traduziu e indica o artigo “Rap music unfairly stigmatized despite holding cultural, social value”

Por Hannah Brown, do site CollegiateTimes

A música rap foi examinada por décadas. Houve controvérsia sobre o rap quando se tratou da rivalidade Costa Leste – Costa Oeste, a interpretação das letras e censura. Grupos de mídia são rápidos em criticar o rap porque é comumente mal entendido.

Como ocorre com outras formas de música, algumas das mensagens que a música rap transmite são negativas. Há letras de rap que glorificam o sexo, a violência e o materialismo. No entanto, uma grande parte da música rap serve como uma voz contra a opressão política, econômica e social.

A cultura hip hop hoje é muito diferente do que era durante a década de 1970. Muitas pessoas podem argumentar que a comercialização continuada do rap afastou a consciência social que o gênero traz. O hip hop moderno é diferente da velha escola, no entanto, as mesmas histórias politicamente carregadas estão sendo contadas de maneiras diferentes.

Há muita música rap que não é centrada em violência ou sexo. Você só tem que procurar. Rappers como Kendrick Lamar, Drake e Eminem recentemente fizeram músicas que fornecem mensagens poderosas sobre mudanças sociais ou políticas.

Durante o Grammy Awards de 2018, Kendrick Lamar deu uma performance poderosa de sua música intitulada “XXX”, que discute os políticos americanos e o padrão da mídia de retratar erroneamente os afro-americanos como violentos.

Eminem abordou a violência armada durante sua performance de  “Nowhere Fast” no iHeartRadio Music awards. O vídeo de Drake para “Gods Plan” mostra o rapper dando o orçamento de US $ 999.631,90 de seu  vídeo para as pessoas necessitadas.

Rap é muito mais do que alguém falando em uma batida. Assim como qualquer outra forma de arte, a música rap pode ser interpretada de maneiras diferentes. Rap deve ser considerado uma forma de poesia que ajuda os indivíduos a se expressarem.

Se os artistas podem criar letras que evocam a emoção de seus ouvintes, eles estão fazendo algo certo. Muitos rappers têm habilidades incríveis de contar histórias. Tupac Shakur, por exemplo, contou histórias poderosas através de sua música.

Em sua canção intitulada “Brenda’s Got a Baby”, Tupac conta a história de uma adolescente que foi abusada que não pode cuidar de seu bebê por causa de sua estrutura familiar fraca.

Como sua música, Tupac escreveu um livro autobiográfico de poesia intitulado “The Rose That Grew from Concrete”, que inclui poemas que são incrivelmente íntimos. Tupac é apenas um exemplo de um rapper que usou sua plataforma para chamar atenção para questões importantes.

A expectativa de que cada rap – ou de uma música de qualquer gênero – seja significativa não é realista. Assim como há raps que se concentram em dinheiro e sexo, há músicas pop que falam sobre as mesmas coisas.

Por exemplo, a música de Justin Timberlake, “Filthy”, fala sobre sexo e festas até às seis da manhã. Ninguém quer ouvir as mesmas mensagens todos os dias.

No entanto, é injusto comparar as mensagens do rap com todos os outros gêneros musicais, porque o rap vem de uma cultura que está em constante luta contra a opressão econômica, social e política.

A capacidade da música rap de dar voz aos oprimidos e produzir mudanças políticas é importante para a sociedade. A cultura do hip hop está diretamente relacionada à cultura jovem e pode provocar pensamentos sobre várias questões diferentes.

Você pode gosta

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações