Home Editorial Rap, a Primeira Batida: Country Rap, já ouviu falar?

Rap, a Primeira Batida: Country Rap, já ouviu falar?

por Arthur Venturi Vasen

Na semana passada, o Rap, a Primeira Batida falou um pouco sobre os mais de 80 subgêneros do Rap, sobre como entendê-los e, além de apresentá-los, apresentou também os gêneros musicais que nasceram a partir do Rap (leia AQUI).

Dando sequência, o Rap, a Primeira Batida desta vez irá apresentar um dos subgêneros: o Country Rap. Muito mais do que a mistura do Country americano com o Rap, o Country Rap já é um subgênero tão consolidado quanto o Trap, Boom Bap, o Gangsta, entre outros. Já possui vários músicos que identificam sua música como Country Rap, possui uma estética própria e um jeito de ser que facilmente as pessoas identificam.

Antes de começar, vale a pena lembrar que o objetivo desta coluna é apresentar o subgênero do Country Rap e que, dificilmente, se dará conta de toda a história e todos os artistas desse subgênero. A ideia, ao contrário, é dar um panorama para que cada um possa explorar e reconhecer mais desse estilo que é antigo e que cada vez mais bomba no sul dos EUA. Inclusive, vale lembrar que alguns artistas podem produzir músicas de diferentes subgêneros e que não é uma categoria apenas que define todo o seu trabalho.

Quais são os precursores do Country Rap?

Para começar, é importante dizer que Country Rap não é só a mistura do Country com o Rap. Antes do próprio rap nascer nos anos 70, alguns músicos do Country já faziam músicas mais faladas do que cantadas que lembram e muito o estilo de se fazer rap. Alguns exemplos são “Smoke! Smoke! Smoke! (That Cigarette)” de Tex Williams e, a mais famosa (especialmente para quem jogou Guitar Hero 3), “The Devil Went Down to Georgia” de Charlie Daniels. Repare que, além de ser bem mais rimado que cantado, a música conta uma história sobre como o demônio chega na Georgia.

A primeira música de Country Rap nasceu, oficialmente, em 1987. A faixa, chamada mesmo de “Country Rap”, foi lançada por Bellamy Brothers, uma dupla de Country que experimentava novas batidas em seus sons, flertando não só com o Rap como com o Rock também. Algumas críticas podem ser feitas no sentido dos Bellamy Brothers serem brancos e usarem a batida do Rap sem trazer também o conteúdo político e crítico do Rap. Ainda assim, muitos artistas do Country Rap apontam essa música dos Bellamy Brothers como o momento inicial desse subgênero.

Neste meio tempo, Neal Mccoy, cantor de Country do Texas, lançou em 1996, o “Hillbilly Rap”. Mas só em 1999 Kid Rock, o famoso cantor de Country de Michigan, lançou a faixa “Cowboy” que, aí sim, já lembra bem mais o estilo de rimar do Rap.

Como o Country Rap se aproximou mais do Rap?

Oficialmente, o primeiro Country Rap feito por alguém dentro do Rap foi Bubba Sparxxx que, em 2001 com produção de Timbaland e participação de Missy Elliot, lançou o single “Ugly”. Tanto na letra quanto no clipe, Bubba que nasceu na Geórgia, critica abertamente alguns hábitos sulistas. Inclusive, provavelmente por estar mais dentro do Rap do que seus antecessores, é um dos primeiros videoclipes de Country Rap que traz mostra pessoas negras, o que pode ser considerado como uma grande revolução já que o Sul dos EUA é conhecido por ser a parte mais racista do país com pessoas que, até hoje, defendem a Supremacia Branca e a volta da escravidão. Nesse contexto, protagonistas negros, ainda mais cantando um estilo de música que leva também Country no nome, é uma revolução.

Nos anos 2000, após Bubba Sparxxx, o Country Rap começou a cada vez ganhar mais e mais força dentro dos estados do Sul dos EUA. Já tendo começado sua carreira em 1995, o grupo Nappy Roots, do Kentucky, começou a estourar suas músicas principalmente a partir dos anos 2000. Além de emprestar melodias do Country, uma das partes mais legais das músicas do Nappy Roots é o fato de falarem sobre a pobreza no interior, na zona rural. Enquanto o Rap e a cultura Hip Hop atacaram de frente a desigualdade social e racial em centros urbanos, já que nasceram em um cenário urbano, as desigualdades sociais e raciais do interior e da zona rural ficaram um pouco de lado, até que grupo como o Nappy Roots (entre alguns outros) começaram a trazer esses assuntos à tona.

Já sendo um gênero relativamente conhecido no Sul dos EUA, foi só em 2004 que os EUA e o mundo pararam para reconhecer o Country Rap. Apesar de estar muito mais associado ao cenário Gangsta ou Mafioso RapNelly lançou o som romântico “Over and Over”, com participação do cantor Tim McGraw, bem conhecido na música Country. Foi aí que muitas pessoas pensaram “Nossa! Country e Rap tem tudo a ver!” e passaram a procurar por artistas do Country Rap que já produziam músicas muito antes disso.

Como está o Country Rap hoje?

A partir desse momento muitos grupos surgiram e começaram a receber mais reconhecimento. Para citar alguns nomes, pode-se falar sobre o texano Cowboy Troy que mistura uma postura bem Gangsta com a melodia do CountryColt Ford da Geórgia que também segue nessa mesma linha, Big Smo da Califórnia, Yelawolf do Alabama, Boondox da Geórgia que segue uma linha mais melancólica, o duo UGK do Texas que também puxa alguns elementos do R&B, entre outros.

Hoje, portanto, pode-se dizer que o Country Rap é um estilo com uma história e uma vida próprias. Para resumir: nasceu dentro do Country através de artistas curiosos e cada vez mais foi se aproximando do Rap até que ganhou sua independência e hoje se relaciona tanto com o Country quanto com o Rap, é influenciado por ambos, mas ao mesmo tempo possui sua própria lógica.

Entre as influências do Country, é interessante observar que nos anos 1970 o gênero recebeu muita influência do Rock (algo semelhante com o Sertanejo brasileiro com a revolução trazida pro Chitãozinho & Xororó) de forma que muitos rappers do Country Rap aproveitam algumas melodias e batidas também do Rock. Por outro lado, há diversas influências da história do Rap. Em épocas onde o mainstream do Rap falava sobre política (nos anos 90, por exemplo), o Cowntry Rap adotou um tom bastante político.

Na metade dos anos 2000 e na metade dos anos 2010, onde o Rap do mainstream passou a falar sobre amor e sobre a própria carreira dos artistas, esses temas passaram a aparecer no Country Rap. O mesmo se pode dizer sobre as batidas do Rap que, a partir da metade dos anos 2000, receberam uma influência maior da música eletrônica, e isso repercutiu muito nas batidas do Country Rap.

Sobre os temas do Country Rap hoje, é difícil categorizar. Mas vale um aviso sobre os raps políticos desse subgênero: assim como grupos como os Nappy Roots tem uma visão mais libertária e buscam apontar problemas sociais como o racismo na expectativa de melhorar a qualidade de vida das pessoas da Zona Rural, outros artistas são mais influenciados pela cultura local e defendem ideologias mais ligadas à direita sulista, que em grande parte tem uma postura republicana. Ou seja, não é pelo simples fato de ser rap que determinado artista irá, necessariamente, posicionar-se de forma libertária.

Resumindo

Country Rap (subgênero do Rap)
Origem: Sul dos EUA (especialmente Texas, Michigan e Geórgia). Surgiu a partir da mistura do Country com o Rap inicialmente a partir de grupos de Country interessados em novas batidas e pouco a pouco foi migrando mais para o lado do Rap.
Assuntos Abordados: variam muito de rapper para rapper podendo abordar desde a vida na zona rural (a ida em bares, a religiosidade, os pensamentos conservadores) até a crítica às desigualdades raciais e sociais no campo, passando por temas como o amor e sair de rolê com os amigos. O que une os artistas desse subgênero é mais a parte instrumental e a origem geográfica.
Elementos Rítmicos e Melódicos: também variam, mas há muita influência do Country mais clássico, do Rock especialmente do Metal e do Hardcore, do Rap Gangsta e um pouco da música Eletrônica, especialmente o House.
Precursores: Tex WilliamsCharlie Daniels.
Criadores e Referências Históricas: Bellamy BrothersNeal McCoyKid RockBubba Sparxxx Nappy Roots.
Artistas influentes na cena hojeCowboy TroyColt FordBig SmoYelawolf, UGKBoondox.

Você pode gosta

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações