Home Rap Nacional Autoestima do jovem preto é tema do single “Bafana” de Yan Cloud
Yan Cloud - Bafana

Autoestima do jovem preto é tema do single “Bafana” de Yan Cloud

por ZonaSuburbana

O cantor e compositor soteropolitano Yan Cloud lançou no dia 18 de setembro, o single “Bafana” acompanhado de um clipe. A canção foi produzida por Faustino Beats, mixada e masterizada por Isaac Neves, e poderá ser conferida nas principais plataformas de streaming, chegará como um grito de guerra e estende o tapete vermelho para o próximo álbum do artista, intitulado “PINKBOY”. Com a letra da música, Yan propõe uma reflexão sobre o que é ser um garoto jovem negro e periférico.

Uma das inspirações para escrever “Bafana” além o trecho destacado na introdução que pertence ao filme Invictus que retrata a jornada da Seleção Sul-Africana na conquista da Copa do Mundo de Rugby de 1995, é a reflexão de como podemos inspirar pessoas ao nosso redor, desde a autoestima até a mudança de suas próprias expectativas, principalmente nas periferias onde a carência de representatividade e incentivo ainda é grande.”, diz o artista. 

O clipe evoca objetos futuristas com o resgate da cultura negra ancestral dentro do universo “PINKBOY” através de metáforas visuais e elementos monocromáticos. O figurino rosa e afro afirma o pertencimento daquele momento ao universo de Yan, é raro encontrar roupa afro na cor rosa, principalmente em salvador que todo tecido afro tem as cores voltadas as cores dos orixás. Existe uma entidade rosa no clipe, ela é esta e abençoa Yan.

O projeto foi roteirizado e dirigido por Mariana Ayumi e Bruno Zambelli, teve direção fotográfica de Lucas Raion e assistência de Ramires AX, montagem e finalização de Paulo Alberto, produção de Nei Mhc e assistência de Faustino Beats, figurino e beleza por Joana, Julia Altahyde e Babi Soares, e o elenco composto por Yan, Brisa Òkun e Ícaro Sanches.

Com lançamento previsto para outubro, o álbum “PINKBOY” conta com 7 faixas, incluindo “Bafana”. Em suas músicas, Yan Cloud aborda sempre questões de cunho social e racial e traz em seus versos a potencialização da autoestima preta e valorização do relacionamento afrocentrado. A sua musicalidade traz misturas de ritmos como rap, trap e o funk, imprimindo a sua identidade dentro do que se entende de música pop. Além de utilizar a cor rosa como um símbolo de revolução. 

Yan surge na cena em 2015 com lançamento de uma série de singles. Em 2017, lançou o EP “Alívio”, primeiro trabalho solo, que ficou em oitavo lugar entre os melhores álbuns baianos do ano, em votação popular no site Elcabong.

Você pode gosta

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações