Home DiscosAlbum Emicida exalta as coisas simples da vida e a grandeza da humanidade no experimento social “AmarElo”

Emicida exalta as coisas simples da vida e a grandeza da humanidade no experimento social “AmarElo”

por ZonaSuburbana

Para um mundo em decomposição, Emicida optou por escrever como quem manda cartas de amor. O resultado desse exercício é o novo projeto de estúdio do rapper paulista, “AmarElo”, em que ele propõe um olhar sobre a grandeza da humanidade.

Com o título inspirado em um poema de Paulo Leminski (amar é um elo | entre o azul | e o amarelo), o artista busca – ao longo das 11 faixas – reunir heranças, referências e particularidades encontradas na magnitude da música brasileira e aplicar a elas olhares e aprendizados que acumulou desde o lançamento da sua primeira (e clássica) mixtape “Pra Quem Já Mordeu um Cachorro por Comida Até Que Eu Cheguei Longe” (2009).

A lista de participações de “AmarElo”, traz Fernanda Montenegro, (declamando o poema Ismália, na faixa de mesmo nome, uma reinterpretação ousada de um poema canônico), Zeca Pagodinho (cantando sobre amizade numa faixa em homenagem a Wilson das Neves), Marcos Valle (adicionando um piano mais do que brasileiro à faixa Pequenas alegrias da vida adulta, que poderia ser um resumo do disco), Fabiana Cozza, Larissa Luz, e as já conhecidas dos singles lançados anteriormente: Pabllo Vittar, Majur, Dona Onete e Ibeyi.

You may also like

Leave a Comment

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações