Home DiscosAlbum Cangaço Negro lança primeiro álbum, ouça “Cordel Umbilical”

Cangaço Negro lança primeiro álbum, ouça “Cordel Umbilical”

por Dj Cortecertu

Rapper de Vitória da Conquista (BA), Cangaço Negro acaba de lançar “Cordel Umbilical”, álbum que vem repleto de referências nordestinas em colagens, samples, rimas e atitude. “Cordel Umbilical” foi gravado em São Paulo, no Studio Buero Beats, a produção ficou por conta de Rod Buero Beats. O ZonaSuburbana trocou uma ideia com o artista. Ouça o disco e conheça as ideias de Cangaço Negro.

ORIGENS
Nasci e me criei na Zona Rual de Vitória da Conquista, e lá tem uma influência muito forte do aboio, forró pé de serra e terno de Reis, coisa que está visível no meu disco. Resolvi mesclar com o rap, pois quando conheci o hip hop, mesmo residindo na zona rural, essa cultura me encheu os olhos pela questão da postura e atitude, conheci em meados de 2004.

Ouvi os primeiros sons no velho e atual estilo boom bap e fiquei logo deslumbrado. A partir daí, como eu trabalhava na roça, sempre levava um caderno e começava a fazer as primeiras rimas.

Quando mudei pra cidade, em Vitória da Conquista, tive o contato com uma galera que fazia rap, a Posse MalêsHuru, foi quando já me deram um suporte pra botar minhas rimas em pauta.

CORDEL UMBILICAL
Então, eu me amarro em literatura de cordel e já escrevi algumas, sabe aquela frase de Patativa “O nordeste é poesia”, o nordeste é o berço da poesia no Brasil, então resolvi fazer uma mescla, que alia a questão da identidade do cangaço, que é visto logo na capa do disco, e dá uma ideia do nascimento da poesia, do cordel no sertão nordestino. Essa foi minha fonte inspiradora.

OBSTÁCULOS
Nossos irmãos que fazem rap no Nordeste também têm que quebrar algumas barreiras, a principal: reconhecer os nossos. Isso ainda é uma barreira que nos impede de poder fazer algo no nordeste. Por isso escolhi vir pra São Paulo, sem contar a falta de estrutura. Temos que passar a consumir o produto interno bruto.

Assim podemos garantir uma evolução dentro da cena local. Imagina seu eu não precisasse vim pra Sampa, para fazer um disco ou até mesmo fazer show e produzir meus produtos? Imagina se isso tudo estivesse por lá, como ponto focal.

You may also like

Leave a Comment

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações