Home Agenda Z’África Brasil faz lançamento do disco ‘Ritual I’ no Sesc Belenzinho dia 30, com Thaíde, Amanda Negrasim e SP Funk

Z’África Brasil faz lançamento do disco ‘Ritual I’ no Sesc Belenzinho dia 30, com Thaíde, Amanda Negrasim e SP Funk

por Dj Abraão

Grupo comemora aniversário de 20 anos de carreira

ZÁfrica Brasil no Sesc BelenzinhoZ’África Brasil, que comemora 20 anos de carreira, lança o álbum “Ritual I – A Vida Segundo os Elementos do Hip-hop” no Sesc Belenzinho (SP), dia 30 de maio (sábado), às 21h. O show tem convidados especiais, como o rapper Thaíde, a MC Amanda Negrasim e SP Funk. Os ingressos custam R$ 7,50 para comerciários, R$ 12,50 meia entrada e R$ 25,00 inteira. As 13 faixas inéditas do quinto disco independente dos MC’s Gaspar, Pitchô, Funk Buia e o DJ Tano, do Z’África Brasil, podem ser baixadas na internet gratuitamente aqui.

O novo CD do Z’África Brasi, com 52 minutos de duração, mostra um caldeirão surpreendente de sons pela mescla de ritmos, que vai do rap ao maracatu, passando pelo reggae e o samba rock. O percussionista, Fernandinho Beat Box, um dos fundadores do Z’África, ao lado do MC Gaspar, em 1995, participou de duas faixas desse trabalho, além da convidada Amanda Negrasim. Pela primeira vez, o Z’África gravou com a banda Z’africanos.

QUEM É O TERRORISTA ?  – A faixa mais impactante de “Ritual 1”, porém, é “Terrorista – parte 1”, que denuncia o avanço da repressão policial, principalmente nas periferias das cidades brasileiras. “A abordagem da polícia quase sempre trata a gente como terrorista. Mas são os policiais que levam o terror para nossas comunidades”, admite Gaspar. Irônica, a letra levanta uma dúvida e deixa uma pergunta no ar: “Quem é o terrorista?”. O arranjo cria uma atmosfera de suspense, enquanto várias patentes militares são sugeridas pela música como resposta à questão levantada até chegar ao Gabinete Presidencial. “Talvez o terrorista seja da corte marcial? Ou até mesmo do Gabinete Presidencial?”, diz um trecho da composição.

“Nos próximos álbuns, virá ‘Terrorista – parte 2’, que fará um relato das ações do Estado em nossas comunidades, mostrando os jovens que morrem anualmente nesta guerra disfarçada, convivendo diariamente com a repressão”, adianta Gaspar. O ciclo se fecha com “Terrorista – parte 3”: “Vamos falar dos terroristas que estão no poder, no Congresso Nacional”.

O disco faz uma homenagem ao ídolo norte-americano MC KRS One, um dos pioneiros da cultura hip-hop, que foi reverenciado pela ONU e a Universidade de Harvard e é o autor do livro “The of Gospel Hip Hop”. Em 2008, KRS One recebeu o prêmio Lifetime Achievement Award, por todo o seu trabalho e iniciativas como Stop the Violence Movement. No disco, a faixa “O Professor Está de Volta” é dedicada a ele, assim como “O Rap é Grande” é uma homenagem aos rappers brasileiros da geração dos anos 90.

 RESISTÊNCIA – “Ritual 1” é o primeiro disco de uma trilogia, produzida pelo MC Pitchô, e busca resgatar a essência do hip-hop, como estilo de vida, visão de mundo, produção de conhecimento e resistência cultural. “Fizemos uma síntese da nossa vivência na cultura hip-hop, a ideologia e o posicionamento político do grupo, cultivado a partir das tradições africanas, que influenciam nossas vidas e traz uma leitura dos choques e conflitos desse mundão, a partir de um olhar da quebrada”, diz Wagner de Oliveira, mais conhecido como MC Gaspar.

A resistência é uma das marcas do CD, afirma Gaspar. “Graças ao hip-hop sobrevivemos aos baques ao longo dessas duas décadas. Além da música, o engajamento natural, que temos em vários projetos sociais, funciona como um motor da nossa arte. É nessas experiências com as comunidades, iniciadas na região do Campo Limpo, Taboão da Serra, Capão Redondo (SP), e que se expandiram pela Zona Sul paulista, na luta para a construção do que chamados de verdadeiros quilombos vivos. Neles exercitamos a libertação, por meio da nossa cultura, repassando os ensinamentos da nossa arte aos jovens, onde aprendemos e contribuímos nas oficinas com foco na formação das novas gerações do hip-hop”, diz Gaspar.

A capa do disco foi inspirada no calendário da cultura Inca, com símbolos Adinkras do oeste da África. Nela, o desenho de uma mandala dourada destaca-se, com ícones impressos no centro do Z’África Brasil. Em volta, estão as representações da cultura Hip-hop: o spray dos grafiteiros; o vinil dos Djs; o microfone dos MCs e o tênis representa os B Boys. Os mapas do Brasil e do continente africano mostram as raízes do grupo, cercadas pelas figuras Adinkras, que representam cada música. A ilustração foi feita por Chambs Cong e a arte gráfica foi da Casa da Lapa.

Z’África Brasil

Dia 30/05/2015. Sábado, às 21h30.
Comedoria (500 pessoas – acesso para pessoas com deficiência).

Não recomendado para menores de 18 anos.

R$ 25,00 (inteira); R$ 12,50 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor da escola pública com comprovante); R$ 7,50 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes [Credencial Plena]).

Ingressos à venda pelo Portal Sesc SP (www.sescsp.org.br), a partir de19/05/2015, às 18h30, e nas unidades, a partir de 20/05/2015, às 17h30

Sesc Belenzinho
Endereço: Rua Padre Adelino, 1000
Belenzinho – São Paulo (SP)
Telefone: (11) 2076-9700
www.sescsp.org.br/belenzinho

Você pode gosta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações