Home Agenda Sarau das Pretas leva ancestralidade, música e poesia às periferias de SP

Sarau das Pretas leva ancestralidade, música e poesia às periferias de SP

por ZonaSuburbana

Parte da programação da Caravana Juventude Viva, mulheres negras percorrem bairros com apresentações artísticas

Por Jéssica Balbino

Com percussão e carregado de ancestralidade, o Sarau das Pretas – coletivo formado por artistas negras de São Paulo – percorre de setembro a novembro de 2016 diferentes periferias da cidade São Paulo na Caravana Juventude Viva, organizada pela Coordenadoria de Políticas para a Juventude, ligada à Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania.

O próximo encontro do Sarau das Pretas na Caravana Juventude Viva ocorrerá no dia 07 de Outubro em Parelheiros e terá duração de 1h. A programação compreende também outros quatro eventos pela Caravana, que ocorrerão nos próximos meses em diferentes periferias.

O coletivo surge no contexto das ações culturais e políticas ligadas ao protagonismo e empoderamento das mulheres em defesa de seus direitos. São jovens mulheres negras atuantes no cenário cultural que revelam, por meio da literatura, da musicalidade, dos tambores e corpos, as realidades de viver o feminino e o feminismo. Assim, o Sarau das Pretas é, acima de tudo, um encontro para partilhar a escuta e a palavra, permeado pela busca e valorização da sabedoria ancestral negra.

O Sarau das Pretas: ancestralidade, corpo e poesia: Conduzido por cinco mulheres negras. As poetas Débora Garcia, Elizandra Souza, Jô Freitas e Thata Alves protagonizam o espetáculo, que conta também com percussionistas como Tayssol Ziggy. Cada uma delas já protagonizam projetos singulares na capital e região metropolitana.

Segundo a criadora do coletivo, Débora Garcia, o Sarau das Pretas foi idealizado a partir de um convite do Sesc Pompéia para uma atividade literária em comemoração ao Dia Internacional da Mulher. Desde então, elas empenham-se em apresentações por toda capital paulista.

“A atividade atraiu um público expressivo, que passou a demandar a realização de outras edições. Diante do nosso entrosamento e da demanda do público, percebi que havia uma lacuna por um espaço de protagonismo negro feminino no cenário dos saraus periféricos da cidade de São Paulo. Sendo assim, fiz o convite às participantes e decidimos seguir com o Sarau das Pretas”, contou.

A dinâmica das apresentações conta com intervenções de poesia, dança afro e percussão, sendo sempre iniciadas e encerradas com uma intervenção coletiva das artistas. No decorrer da ação as poetas residentes intercalam suas declamações e intervenções artísticas com a participação do público. “A proposta do sarau é que haja esse diálogo, escuta, interação e participação do público através do microfone aberto, onde qualquer pessoa pode se manifestar”, destacou Débora Garcia.

Ainda de acordo com as criadoras do sarau, as intervenções coletivas ambientam os participantes e são produzidas a partir de manifestações da cultura popular e afro-brasileira, tais como jongo, coco, samba de roda, saudações aos orixás e até mesmo o rap, por ser uma importante manifestação cultural das periferias.

Desde a sua primeira edição, em março deste ano, o Sarau das Pretas participou da 2° Mostra da Mulher Afro, Latino-Americana e Caribenha, realizada no Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes; do evento Estéticas das Periferias, do lançamento do livro da escritora Conceição Evaristo na Ação Educativa, e entre os meses de setembro a novembro, participará da Caravana Juventude Viva, atividade ligada à Coordenadoria da Juventude, da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania.

A Caravana da Juventude Viva: Entre os meses de setembro e novembro, o Balcão de Direitos Humanos e a Coordenadoria de Políticas para a Juventude da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania promovem a Caravana Juventude Viva, com atividades itinerantes que percorrem diferentes regiões de São Paulo, priorizando as com elevados índices de risco e vulnerabilidade social.

De acordo com a secretaria, a caravana tem o objetivo de prestar orientação à população no que se refere à garantia e violação de direitos, acesso às políticas públicas, proteção e defesa dos direitos da juventude.

Para Elizandra Souza, esta é uma oportunidade e ampliar o público do Sarau das Pretas. “É assim que acessamos nosso público e declamamos para outras mulheres pretas e periféricas”, disse.

Nos encontros da caravana o Sarau das Pretas contará com a participação de artistas da região, promovendo assim um intercâmbio cultural entre as artistas negras atuantes na cidade de São Paulo

Serviço:
Data: 07/10/06 (sexta-feira)
Horário: 16h às 17h
Local: Associação Cultural e Comunitária Sorriso do Futuro
Endereço: Rua Juritis, 71 – Parelheiros – São Paulo

Você pode gosta

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações