Home DiscosAlbum Rincon Sapiência lança novo álbum. Ouça “Mundo Manicongo: Dramas, Danças e Afroreps”

Rincon Sapiência lança novo álbum. Ouça “Mundo Manicongo: Dramas, Danças e Afroreps”

por ZonaSuburbana

No dia 25 de novembro, Rincon Sapiência lança em todos os aplicativos de música o seu tão aguardado segundo álbum de carreira intitulado “Mundo Manicongo: Dramas, Danças e Afroreps”. O vulgo Manicongo, como Rincon também é conhecido, se traduz em Rei do Congo, local que o artista possui descendência indireta e que remete à exaltação da negritude como Reis e Rainhas. Neste novo trabalho, o artista viaja pelos mais diversos ritmos, norteado por vertentes da música pop contemporânea africana. Com instrumentais dançantes e divertidos, uma das marcas de sua nova fase, o disco é o primeiro lançado pelo seu selo próprio, o MGoma e tem distribuição da Altafonte.

O álbum conta com as participações de Mano Brown, Lellê, Gaab, grupo ÀTTØØXXÁ, Duquesa, Rael e do Coletivo Audácia. Inclusive, a faixa com Rael, “Me Nota” rendeu um clipe dançante que acompanha o lançamento do álbum. Realizado pelo MOOC (sigla para Movimento Observador Criativo), o filme é uma produção feita totalmente por pessoas negras, desde os criadores ao casting. As cores e cenas trazem a atmosfera tropical da música, um clima bem pop de verão, com Rincon e Rael arrasando no swing e atuação.

Este novo trabalho expõe a evolução de Rincon como artista e produtor musical, que assina toda a direção do álbum, se desprendendo da veia clássica predominante no multipremiado “Galanga Livre” (2017), seu disco de estreia.

Em “Mundo Manicongo: Dramas, Danças e Afroreps“, Rincon bebe na fonte de estilos africanos mais variados, desde o afrobeat e o afrohouse, até o dundunba, ritmo originário da Guiné e semeado em todo mundo pelo mestre djembefolá Famoudou Konatè.

O diálogo com ritmos originários das periferias como o pagode baiano, o funk brasileiro – desde o Mandela até o 150 bpm – e o grime inglês também se destaca no novo disco.

Permitindo-se novas experimentações musicais, o Manicongo apresenta ao público o seu mundo, circundado por conflitos existenciais e amorosos. Mantendo a sua já conhecida leitura apurada da realidade que o cerca – ou que o liberta – o artista adota a proposta de celebração como uma constante no discurso. O esmero no uso dos graves traz ao trabalho uma sonoridade agradável e que convida a dançar. Destaque para os timbres 808 e drops certeiros, somados a refrões marcantes, além da onipresença, às vezes sutil e outras vezes marcante, do trap.

No disco, Rincon também estreita os laços com beatmakers da nova geração, como o guineense radicado em Portugal MazBeatz e o brasileiro Esil Beats, valorizando artistas talvez pouco conhecidos no mainstream.

Os arranjos também merecem destaque pela riqueza e originalidade, valendo-se de instrumentos pouco convencionais no rap como o djembê, berimbau, marimba e metais.

A isso, somam-se arranjos de outros músicos, entre eles guitarra de Robson Heloyn, teclado de Kiko de Sousa, percussão de Nunah Oliveira e Amanda Telles, violão de Breno Laureano e scratches de DJ Mista Luba, além das vozes de Nanny Soul, d’Oliveira e Marissol Mwaba – que também gravou arranjos de baixo.

Mixado e masterizado por César Pierri, o resultado desse conjunto é um álbum que convida os ouvintes à dança, ao mesmo tempo que reforça a elegância das composições, que ao longo dos anos tornou-se uma marca registrada de Rincon Sapiência.

Você pode gosta

1 comentário

Kanui lança coleção exclusiva em parceria com Rincon Sapiência – beatmidia 21/01/2020 - 11:27

[…] um álbum recém lançado chamado “Mundo Manicongo: Dramas, Danças e Afroreps”, Rincon Sapiência é um dos maiores nomes do Rap brasileiro: filho de uma costureira e […]

Reply

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações