Home Rap Nacional Rashid imprime rap ao estilo pop de Ana K e juntos lançam clipe de “Achados e Perdidos”
Rashid e Ana K - Achados e Perdidos

Rashid imprime rap ao estilo pop de Ana K e juntos lançam clipe de “Achados e Perdidos”

por ZonaSuburbana

Ana K, a mais nova diva pop do Inbraza, lança nesta sexta (04) o clipe de “Achados e Perdidos”. A faixa, fruto de uma parceria inédita da cantora com o rapper Rashid, fala de forma leve e descontraída sobre a superação após uma desilusão amorosa, enaltecendo o amor próprio – ouça aqui. A mensagem ganha ainda mais força no material audiovisual, no qual Ana aparece super confiante em um look glamouroso, esnobando o ex-amor.

O videoclipe traz elementos certeiros para o sucesso: coreografia, que Ana K executa ao lado de um time de bailarinos e bailarinas; mix de estilos musicais, neste caso o pop e o rap; um feat musicalmente enriquecedor, fruto da parceria da artista com Rashid; e, por fim, uma mulher que descobre que não há nada mais poderoso do que o amor próprio. “A arte é um dos meios mais fortes e genuínos de estabelecer conexão e provocar identificação. Passar uma mensagem empoderada é mostrar que todos nós somos capazes de viver a nossa independência e força!”, opina a cantora.

Como toda boa criação, “Achados e Perdidos” tem um quê de história real. “Minha inspiração foi um príncipe que acabou virando sapo! (risos) Quando você passa por uma desilusão amorosa, você chega a um ponto que é preciso pôr para fora, para deixar sarar. Eu queria que essa obra fosse o escape para os meus ouvintes, que eles pudessem encontrar conforto, força e leveza, porque pelo menos é o que eu procurava buscar sentir em momentos difíceis”, confidencia a paulista de 25 anos.

A parceria com Rashid é a primeira da carreira de Ana K desde a sua chegada ao Inbraza – selo pop da Som Livre em parceria com a Liga Entretenimento, sob o qual também lançou o EP “Tudo Pra Mim” no final de setembro. “Não nos conhecíamos ainda. Eu só conhecia o trabalho do Rashid, e quando pude conectar a arte dele com a pessoa que ele é, tudo fluiu e conseguimos criar essa coisa maravilhosa que é “Achados e Perdidos”. O Rashid é gente finíssima, além de um artista muito focado. É muito comum a gente gravar a mesma cena várias vezes até acertar, mas com ele ia praticamente sempre de primeira”, elogia a artista.

Apesar de todos os desafios impostos por 2020, este sem dúvida foi um ano marcante na trajetória profissional de Ana K. Além do lançamento do EP “Tudo Pra Mim”, que chegou com o clipe da faixa homônima e trouxe ainda as canções “Deus É Mãe” e “Chamar Seu Nome” – e da música “Achados e Perdidos”, a artista teve a chance de emprestar sua voz para a trilha da campanha de divulgação do combo Globoplay e Disney+, que teve como música-tema uma versão em português, misturando vários ritmos brasileiros, do clássico “When You Wish Upon a Star”.

Esse ano começou desestabilizando todo mundo com o Covid-19, e tudo ficou muito incerto e distante para muita gente. Eu mesma achei que não conseguiria lançar meus trabalhos neste ano, mas tive a enorme sorte de ter uma equipe muito centrada e capacitada! Terminamos as composições a distância, e quando vimos que podíamos gravar em segurança, fizemos e tudo fluiu como mágica. Poderia dizer que encerro esse ano com uma visão muito positiva e inspiradora da minha carreira. “Tudo pra mim”! (risos)”, diz a artista, fazendo um balanço do período.

Relembrando o começo de sua relação com a música, Ana – que é filha de mãe brasileira e pai alemão – sempre encontrou na música brasileira a conexão com sua terra natal, uma vez que se mudou para a Alemanha aos 2 anos de idade, onde permaneceu até os 14 com a família.

Lá eu fiz minhas primeiras apresentações cantando – sou muito grata a minha mãe que me colocava em cima de uma cadeira para cantar a trilha sonora do desfile ou evento que ela estava produzindo (risos). A música sempre foi minha conexão com a terra, com a vida. Minha mãe percebeu isso muito rápido e alimentou a minha alma com obras brasileiras que ela sabia que eu iria inalar como se fossem vitais. Lembro de passar horas cantando no terraço do nosso apartamento e quando terminava, tinha se formado uma pequena plateia de pedestres, que paravam na minha janela para ouvir. Nesses momentos eu sentia que vim a terra para isso”, recorda ela, completando em seguida: “Quando voltamos, foi aí que todos aqueles sons que minha mãe me alimentava, ecoaram dentro de mim. Eu estava no meu elemento. Na minha paz. Hoje moro aqui no Brasil, e não me vejo morando em nenhum outro lugar!

Sobre as expectativas para o lançamento de “Achados e Perdidos”, Ana não esconde a animação: “Quero ver todos gritando essa música e fazendo dela um hino para entrar em 2021 mais livres e confiantes. Eu torço com todo meu coração que cada um que escutar ‘Achados e Perdidos’ se transforme por dentro e consiga se olhar com muito amor e admiração, entendendo que relacionamento mediano nenhum vale seu tempo”, finaliza.

Você pode gosta

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações