Home DiscosAlbum Rapper mineiro Licon conta sua trajetória no álbum “Moss”
Licon - Moss

Rapper mineiro Licon conta sua trajetória no álbum “Moss”

por ZonaSuburbana

Natural de Medina, Vale do Jequitinhonha, Nordeste de Minas Licon, codinome de Thiago Che Guevara Almeida de Araújo, é um MC afiado, tanto no flow quanto na construção lírica. Em seu novo trabalho, o disco “Moss”, que traz 7 faixas, o artista relata sua trajetória, de um jovem que migrou do interior do estado para a capital mineira em busca de novos espaços na batalha pela conquista dos sonhos. Moss, palavra que dá titulo ao disco, é “moço”, dito em bom mineirês, acentuando o sotaque com a supressão do último fonema.

É uma das gírias que mais uso e que me remete muito à minha terra”, diz Licon. Valorizando suas raízes, além do nome, a capa de “Moss” traz Licon ainda criança montado num cavalo, ilustrando a caminhada de quem enfrentou as privações e o sonho, comum à muitos dos moradores do interior, que imaginam uma vida melhor nas grandes capitais. A arte que ilustra a capa, trabalho que contribui para reforçar o conceito da obra, é da designer e fotógrafa Pri Garcia.

Para além de uma narrativa em primeira pessoa, o disco representa a saga dos que migram, dos retirantes Brasil afora, dos jovens das periferias que ambicionam desbravar o centro e uma vida digna, longe da invisibilidade e da pobreza.

 “Fala Que Cê Não Qué”, uma das primeiras faixas narra essa busca por melhores condições, dizendo em alto e bom tom que a periferia também quer viver bem, que quer acesso. A música “Moss” é um trap onde o artista fala da sua trajetória de quem “já pulou muro e hoje tá no palco”. Já em “AmaréLicon fala de esperança, de quem caminha com olhos para o futuro, da narrativa de quem segue em busca de evolução pessoal, espiritual e artística. “Aurora” uma das letras mais bonitas do álbum, é uma homenagem do artista à filha recém nascida, falando das alegrias, angústias e dúvidas de quem aprende a ser pai. A música seguinte “Envolven”, é uma balada romântica onde o MC economiza nos versos e apresenta sua faceta mais melódica. “Grana Man” esta última fala da luta de quem segue num mundo eminentemente capitalista na luta pela sobrevivência, onde tudo é “grana”, é uma afirmação e uma crítica reflexiva sobre o nosso modo de vida.

As produções ficaram a cargo dos beatmakers Jay Leo, Fantini e BAKA.

Moss” é uma obra intensa de um cronista com olhar preciso para captar a realidade em suas várias facetas, um trabalho expressivo cuja construção poética é rica e, ao mesmo tempo acessível, falando diretamente para pessoas que vivem o que ele vive e viveu.

Ouça o álbum abaixo:

Você pode gosta

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações