Home Editorial Rapper indígena quebra todos os estereótipos do México através do hip-hop

Rapper indígena quebra todos os estereótipos do México através do hip-hop

por ZonaSuburbana

Mare Advertencia Lírika é a zapoteca que luta pela igualdade de gênero com suas canções!

Por: Raquel Miserachi

Mare é uma garota de origem zapoteca de Oaxaca. Tem 28 anos, é rapper e se orgulha de suas raízes indígenas e de ser mulher. O graffiti introduziu a artista ao mundo ao rap quando ela tinha 16 anos, esse estilo de música que permite o protesto social, ativismo e revolta.

Mare é fundadora e parte do Advertencia Lírika , o primeiro grupo de mulheres que fizeram de rap em Oaxaca, México. Em 2007, elas lançaram seu primeiro álbum intitulado 3 Reynas e continuaram juntas até 2009. Agora, cada uma delas têm seu próprio projeto.

As pretensões de Mare não são as correntes de ouro, iates etc. O que a MC quer é colocar temas que afligem toda a sociedade mexicana e que, ao seu tempo, são problemas que estão em muitas comunidades ao redor do mundo.

Entre 2007 e 2012, 1909 feminicídios foram cometidos no México. Isso significa que há mais de três crimes por 100.000 mulheres. Combatento esta violência, a proposta musical de Mare também é única. Enquanto é inserida na cultura do hip-hop, a MC tenta incorporar elementos típicos como a música tradicional mexicana com o funk e reggae.

Ouça o disco “Siempre Viva”:

Leia reportagem original (em espanhol)

Você pode gosta

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações