Home Rap Nacional Rapper Dudu se une à Froid na faixa “Mesmo Que Não Queira Me Ouvir”
Dudu e Froid - Mesmo Que Não Queira Me Ouvir

Rapper Dudu se une à Froid na faixa “Mesmo Que Não Queira Me Ouvir”

por ZonaSuburbana

Após um 2020 bastante movimentado, no qual lançou em sequência o EP “Jordan Boyz Vol. 2” e seu primeiro álbum, “Acídia”, além de cinco singles – todos pela Som Livre -, o rapper capixaba Dudu inicia 2021 com o pé direito ao apresentar a faixa “Mesmo Que Não Queira Me Ouvir”. O trabalho, fruto da parceria com o brasiliense Froid e que já está disponível em todas as plataformas de música, conta com sonoridade romântica e letra visceral, traduzindo simbolicamente a fase adulta de Dudu, onde suas preocupações, trabalho e posicionamento apontam novas direções. Combinando com a track, os rappers protagonizam ainda um videoclipe, que mescla uma atmosfera de reflexões introspectivas com elementos de ostentação, com direito a cenas com champanhe em um jatinho.

Esse é um som que eu fiz ano passado, de freestyle. Eu estava no estúdio com o Froid, a gente tava trocando um som juntos, ele tinha acabado de fazer a primeira versão do beat e a gente ficou brisando nesse refrão, que é o ‘mesmo que não queira me ouvir’. Daí saiu o som, foi totalmente espontâneo”, conta Dudu sobre a faixa. A respeito do processo de composição, Froid complementa: “Chegando no estúdio ligamos o computador, fiz um beat e o Dudu já começou a cantar. Eu achei que ele já tinha levado a letra pronta, mas na verdade estava compondo enquanto eu criava o beat. Então Dudu gravou, e depois que ele terminou eu escrevi e gravei também”, ressaltando a fluidez da parceria.

Em termos de estética, “Mesmo Que Não Queira Me Ouvir” aposta bastante em elementos do trap, como moduladores de voz e batida pontuada, gênero no qual Dudu, aos 18 anos, já se estabeleceu como grande representante no cenário nacional. Froid, por sua vez, é um dos principais nomes da última leva de rappers que surgiu em meio às batalhas de rima nos últimos anos. Desde o lançamento de seu primeiro disco – “O Pior Disco do Mundo”, em 2017 -, ele acumula números expressivos em audiência nas redes sociais e plataformas de música, além de ter participado de projetos aclamados da cena, como a cypher Poetas no Topo. Seus sucessos enquanto artistas, individualmente, e agora com o resultado da união na produção da nova faixa, reforçam ainda uma nova realidade na cena que vem se firmando a cada dia: a ascensão do rap fora do eixo Rio-São Paulo.

Eu já conhecia o Froid há algum tempo. Ele é um cara que eu já admirava muito, desde a época das batalhas. A gente se conheceu em um dos primeiros shows que ele fez no Espírito Santo e desenvolvemos uma parceria. Fizemos shows, viajamos um bom tempo juntos e desaguou nessa amizade”, conta o rapper sobre o histórico da relação entre os dois.

Você pode gosta

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações