Home Noticias Parceria AkzoNobel/Tintas Coral, Azul e Embraer cria o avião mais colorido da América do Sul com produção da Dionisio.Ag
AkzoNobel/Tintas Coral, Azul e Embraer cria o avião mais colorido da América do Sul

Parceria AkzoNobel/Tintas Coral, Azul e Embraer cria o avião mais colorido da América do Sul com produção da Dionisio.Ag

por ZonaSuburbana

Uma ação de co-branding entre a AkzoNobel/Tintas Coral, a Azul Linhas Aéreas Brasileiras e a Embraer deu origem ao avião mais colorido da América do Sul. Chamada de Ararinha Azul, a aeronave foi batizada no dia 03/12 e, ainda neste mês, poderá ser vista no céu do Brasil. A pintura especial, arte do grafiteiro Pardal, da Dionisio.Ag, é um convite para a reflexão sobre a importância da proteção da biodiversidade. Além disso, estão planejadas outras ações de sustentabilidade, impacto social e restauração de espaços públicos da Tintas Coral – marca da empresa holandesa – por meio do movimento Tudo de Cor.

A ideia de unir as marcas em um projeto surgiu de uma reunião informal entre executivos da Azul e da AkzoNobel, no segundo semestre de 2019. Nesse encontro, ficou clara a conexão entre as empresas na pintura de aviões. De um lado, estava a prática da Azul em lançar aviões temáticos, de outro a expertise da AkzoNobel em oferecer a mais alta tecnologia em tintas aeroespaciais e desenvolver cores para aeronaves com pinturas especiais em todo o mundo. Juntas, as duas empresas se uniram à Embraer e decidiram celebrar esse encontro pintando o avião mais colorido da América do Sul. A ideia saiu do papel ao encontrar um propósito ainda maior: apoiar o projeto Ararinha na Natureza, conduzido pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e a Association for the Conservation of Threatend Parrots (ACTP), da Alemanha, que se reuniram com a nobre missão de reintroduzir e proteger a ararinha-azul, espécie considerada extinta em ambiente natural desde 2000, para repatriar cerca de 50 dessas aves em seu habitat natural.

Paralelamente, a Tintas Coral levou – por meio do movimento Tudo de Cor – sua experiência em sustentabilidade e impacto social à Curaçá, na Bahia, cidade que é a terra natal das ararinhas-azuis, com um centro de reprodução e soltura construído para o recebimento das aves em março de 2020. Em parceria com a prefeitura local, o Tudo de Cor está revitalizando a igreja matriz e o Teatro Raul Coelho, o segundo mais antigo da Bahia. A convite da AkzoNobel e curadoria da Dionisio.AG, o grafiteiro Pardal foi à Curaçá pintar, em uma casa centenária do centro histórico, um mural inspirado na arte que ilustra o avião Ararinha-Azul.

O projeto também deu origem a uma coleção especial de cores, a paleta Ararinha-Azul, composta por cinco tons de azul utilizados na pintura da aeronave: Celeste Azul, Azul dos Andes, Azul Tibet, Olho Grego e Escrita Antiga.

Por dentro da pintura – Especialista em usar o poder das cores para transformar ambientes, lares, espaços públicos e comunidades, a Tintas Coral, ao lado da Azul, nomeou o grafiteiro, diretor de arte do mercado publicitário e designer paulistano Pardal para dar vida e cor ao Embraer 195 E2. Toda a curadoria do projeto foi assinada pela agência de artes Dionisio.Ag, contratada pelas empresas para desenvolver essa ação. Foi a primeira vez que Pardal teve um projeto estampado em uma aeronave. O grafite saiu da paisagem urbana e chegou ao céu, em uma arte que traduz todo o significado dessa homenagem, rica em detalhes, e que convida a uma divertida caça ao tesouro. Juntamente com o mapa do Brasil, seis ararinhas e um pardal (símbolo do artista) compõem a arte, que também conta com os valores da Azul Linhas Aéreas em um emaranhado de palavras. As caldas coloridas das ararinhas remetem às cores e à identidade visual da Tintas Coral.

A arte é capaz de transformar uma sociedade e até mesmo uma nação. Com ela é possível transmitir mensagens, unir as pessoas, apoiar uma causa e atiçar o pensamento crítico de qualquer assunto, e é isso que esperamos com esse projeto. Cada ação e ativação dele ressalta a importância da preservação do nosso habitat. Isso desperta a reflexão de nós, enquanto cidadãos, o que estamos fazendo para contribuir com a natureza”, conclui Victor Barros, sócio fundador da Dionisio.Ag.

A partir da definição da arte, o laboratório da AkzoNobel localizado dentro da Embraer fez um estudo para a escolha de 58 cores, sendo 28 delas desenvolvidas exclusivamente para o projeto. O processo de pintura do avião contou com 10 profissionais da Embraer e levou 20 dias. Para reproduzir no avião esse multicolorido leque de tons, foi utilizado o sistema Base Coat Clear Coat (BCCC) Aerodur 3001/3002, largamente aplicado em aeronaves comerciais da Embraer e de outros fabricantes mundiais do segmento de aviação.

Foi a primeira vez que tive um privilégio de ter um trabalho num avião, foi mágico e único. Tenho diversas obras de grandes proporções, mas com certeza essa está gravada em meu coração e é gratificante só de pensar que vai levar essas cores para diversos lugares do Brasil”, afirma o artista Luiz Pardal. Confira um bate-papo com o grafiteiro sobre o projeto Ararinha-Azul:

Como foi participar do projeto?

Pardal: Quero dizer inicialmente que este é um projeto que me orgulho muito em ter participado. Sou muito grato por esse convite e desde o início entendi a grande responsabilidade e a nobreza de desenhar sobre a volta da Ararinha-Azul, que foi extinta há mais de 20 anos no Brasil. Eu amo pássaros, desenho pássaros desde criança e é surreal ver verdadeiramente um personagem meu voando através de uma aeronave, é lindo e filosófico, como viver um sonho acordado.

Conhecer a cidade de Curaçá foi uma experiência riquíssima. Que lugar lindo e paisagem de tirar o fôlego. Seus moradores são doces e receptivos e o mais importante: eles abraçaram a ideia de proteger e de deixar livre na natureza as Ararinhas-Azuis. Foi um prazer deixar uma pintura no coração da cidade, às margens do Rio São Francisco, em uma parede de 100 anos. Foi algo indescritível e vou levar essa memória afetiva para o resto da minha vida.

Quando tempo se estendeu o processo de desenvolvimento da parte artística, até a apresentação do esboço da arte?

Pardal: Durou em torno de dois meses. Foram diversas reuniões, tanto com a AkzoNobel como com a Azul, que foram essenciais para a sintonia desse projeto com objetivo de contar uma história linda sobre a volta da Ararinha Azul. Depois de muita pesquisa e milhares de esboços de lápis e papel, consegui chegar em uma composição definitiva.

Quais as inspirações e escolhas para esse trabalho?

Pardal: A característica do meu trabalho é compor desenhos com pássaros sendo personagens principais, eles são uma forma simbólica que podem representar muitas coisas, inclusive a liberdade. Sempre fui fascinado por aves, assim foi muito gratificante e prazeroso pesquisar a fundo a história da ararinha e suas características. Então, dentro do contexto de liberdade, pensei em retratar as aves sobrevoando o território nacional. A sombra da ararinha forma o desenho de uma aeronave. Ainda, elas em liberdade trazem Flourish aos céus brasileiros, assim unindo, num desenho só, a vontade de ver essa ave livre e a importante parceria entre a Azul e a AkzoNobel.

Como foram selecionadas as cores para esse trabalho? Quais são as cores predominantes?

Pardal: As cores foram selecionadas através de muita pesquisa, tanto sobre a ararinha-azul como da flora e fauna do Brasil.

As cores predominantes são os tons da Ararinha-Azul, como a “Azul Danúbio”, por exemplo, e o “Violeta Inspirado” que também foi bastante utilizada. Toda a paleta criada ficou belíssima e fez vibrar energia no avião. Foram 48 cores selecionadas, 28 especialmente criadas para esse projeto, foi um grande trabalho entre a equipe AkzoNobel e a Azul para materializar essas cores fidedignas ao projeto desenhado.

O que podemos encontrar nesse projeto que o torna reconhecidamente um trabalho do Pardal?

Pardal: Os meus personagens que são pássaros, o estilo do traço, a aura com palavras como liberdade e amor, que são características marcantes do meu trabalho. E o tema liberdade foi o fio condutor desse projeto.

Como define a sua arte?

Pardal: Defino a minha arte como um instrumento de pensamento, um instrumento de conscientização e de reflexão nas pessoas sobre o respeito a vida, liberdade, verdade, fé, amor e esperança.

A agência Dionisio.Ag ainda produziu e editou o vídeo “Por um Céu Mais Azul”. O material audiovisual retrata como que foi todo o processo de pintura, produção e infraestrutura para realização do projeto, além de homenagear essa linda espécie da fauna brasileira.

Você pode gosta

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações