Home DiscosAlbum “Mutum”: Jairo Pereira, vocalista do Aláfia, lança disco solo

“Mutum”: Jairo Pereira, vocalista do Aláfia, lança disco solo

por ZonaSuburbana

“A clarividência é uma virtude que se adquire pela intuição mas sobretudo pelo estudo. É tentar ver a partir do presente o que se projeta no futuro.”Milton Santos.

É possível falar de opressão e amor numa mesma obra, com coesão? Jairo Pereira mostra em “Mutum”, primeiro disco de seu projeto solo, que sim. A obra, gravada no estúdio Medusa, faz ponte entre os embates sociais e a importância do afeto com sensibilidade e destreza através de 7 faixas que misturam hip hop, rock, reggae, jazz e poesia.

A fala acima, do geógrafo e prêmio Nobel Milton Santos, abre o álbum na voz do próprio, recortada de uma entrevista de 1995. “Gosto demais dos caminhos que ele traçou para tentar encontrar soluções para a desigualdade social e racial que existe no Brasil. O trecho que escolhi, mesmo rápido, fala muito sobre o disco, sobre focarmos no momento presente para que possamos ter um futuro digno”, conta Jairo.

Mutum” começou nos palcos, e após quase dois anos amadurecendo o projeto em espetáculos ao vivo, houve o forte desejo de partir para o estúdio. Assim como o show, o disco trilha os caminhos do afeto como agente transformador para as prisões e embates diários, mas é diferente do que o público tem visto ao vivo, com faixas inéditas. O nome do projeto, e do álbum de estreia, vem de uma espécie imponente de pássaro, que vive na Amazônia e hoje encontra-se em extinção.

“É um disco curto, feito com poucos recursos, mas também porque vai direto ao ponto em tudo que a gente quer abordar. É um abre alas do Mutum”, afirma Jairo. Totalmente independente financeiramente, o disco é recheado de participações. Como não poderia deixar de ser, a linha de seleção dessas pessoas também foi pelas relações afetuosas do compositor. Assim foi feita a composição da banda Mutum, em que a maioria dos músicos (a exceção é o guitarrista), também fazem parte do Aláfia, grupo do qual Jairo é um dos três vocalistas há sete anos: o maestro e pianista Fábio Leandro, o gaitista Lucas Cirilo – que trouxeram as influências jazzísticas ao trabalho -, o baixista Gabriel Catanzaro, o percussionista Pedro Bandeira, o baterista Filipe Gomes e o guitarrista Dudu Tavares.

O baixista Gabriel Catanzaro é quem assina a produção musical. A união das visões do produtor com a do compositor se fazem muito presentes no trabalho: Gabriel vem do universo do rock, enquanto o rap foi a escola de Jairo.

Xênia França e Eduardo Brechó, os outros dois vocalistas do Aláfia, tão importantes na trajetória de Jairo, participam de “O Deserto Em Nós”, música que aborda os valores sociais em declínio em buscas superficiais e plásticas.

Mutum” rouba o fôlego ao nos deixar em profundo contato com adversidades que muitas vezes insistimos em passar batido. Mas é através da luz, tanto ao iluminar tais tensões quanto ao indicar o caminho da cura, que amarra uma obra contemporânea. Propõe um mergulho num recente ditado urbano, pichado em muitos muros pela selva de concreto: o afeto é revolucionário.

Você pode gosta

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações