Home Rap Nacional Mayí, integrante do grupo Fenda, lança “Sedenta” — sobre prazer feminino e LGBTQIA+
Mayí (feat. Vhoor) - Sedenta

Mayí, integrante do grupo Fenda, lança “Sedenta” — sobre prazer feminino e LGBTQIA+

por ZonaSuburbana

Diversão levada a sério”. A premissa de Chico Science, principal nome do movimento manguebeat, para definir a forma como enxergava a própria obra é uma das inspirações e ponto de partida para a mineira Mayí – integrante do coletivo feminino de hip hop Fenda – na criação de “Sedenta”.

O segundo single da sua carreira-solo, que chega acompanhado de um registro audiovisual, já está disponível em todas as plataformas de streaming pelo selo MacacoLab, braço da produtora A Macaco que produz o megafestival Sarará. Em uma fusão de sonoridades frequentemente marginalizadas, como o trap e o funk, a cantora e compositora dá sua contribuição para abrasileirar influências “de uma quebrada internacional” por meio de uma letra que tem como personagem principal a liberdade sexual feminina.

Feita em parceria com o DJ e beatmaker belo-horizontino Victor Vhoor, a artista do Aglomerado da Serra (comunidade de Belo Horizonte e a maior de Minas Gerais) condensa as suas vivências de quebrada e experiências que teve como mulher e bissexual para celebrar a confiança que tem, hoje, para falar de temas que ela percebe ainda serem tabus na sociedade. “Tanto a bissexualidade, quanto o prazer feminino e LGBTQIA+, são tabu até hoje. E a mensagem é sobre isso: autonomia pra falar dos meus prazeres sem medo”, conta. 

A autonomia explícita na letra também é um dos elementos principais para as escolhas sonoras do single. Ao construir seu trabalho com a pluralidade de gêneros musicais marginalizados como ferramenta, Mayí escancara a independência desses ritmos frente à aprovação daqueles que não compartilham a mesma realidade. “A favela pode mostrar que não precisa do aval de nenhum juiz musical para realizar qualquer mistura que seja ou para escrever qualquer letra que seja”, declara a artista do selo MacacoLab

O single, que dá continuidade a “Gritam-me” (ouça aqui), estreia solo de Mayí, é parte de uma série de lançamentos da cantora previstos para este ano. Com roteiro assinado pela própria artista, a produção audiovisual de “Sedenta” traz como protagonista um casal formado por mulheres e traduz em imagens a liberdade, o prazer e a autonomia feminina e LGBTQIA+. “Muitas vozes estão sendo silenciadas nesse momento. E, aqui onde eu vivo, a maneira de transgredir é essa: passar por tudo isso e seguir existindo sem esquecer dos prazeres que a gente também tem”, conclui. 

Você pode gosta

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações