Home Rap Nacional d.E vulgo Dia divulga vídeo para “Honey”
d.E vulgo Dia - Honey

d.E vulgo Dia divulga vídeo para “Honey”

por ZonaSuburbana

Honey” é um lovesong que remete a nossa boa e clássica Golden Era, sem abrir mão de ser futurista, abordar temas atuais e passear pelas estranhezas do indie.

Inspirado em “I used to love H.E.R” (Commom), “Musa” (Aori) e “Dreams” (J. Cole), d.E usa e abusa das rimas internas, multis, punchlines, referências, metáforas, emulação de voz, para nos levar por uma viagem surrealística na qual a música (ou a arte do rap em si) é retratada como uma mulher tóxica que brinca com os sentimentos de quem tenta a conquistar.

O clipe de “Honey”, é composto com cenas de artistas importantes que já morreram, sinalizando ao telespectador que d.E almeja ser “eterno” como estes que aparecem na obra. Os versos do refrão são uma referência ao filme “Amor a queima roupa”, pois assim como em uma das cenas iniciais na qual o protagonista após declarar “eu te amo” para sua paixão, logo em seguida afirma; “não precisa dizer eu te amo também”, se protegendo da indiferença do seu par, e dando a entender que o romance não precisava ser recíproco.

Por isso o som traz essa abordagem, ainda que de maneira leve e bem humorada, sobre como a extenuação da caminhada musical no rap pode afetar a saúde mental de quem se propõe a viver isso. Contudo, há aqueles que continuam a procura de possuir de qualquer forma sua “musa” independente das rejeições.

d.E vulgo Dia traça este paralelo entre ficção e realidade, cria um ambiente de fábula e satiriza suas fragilidades, para que o ouvinte sinta como de fato é sua relação de amor com a música rap, alguma coisa que lembra um verso do Xará: “Eu podia ter tentando ser tudo que eu não fuiEu podia tá melhor mas a música seduz”.

O clipe foi feito a três mãos; d.E assina direção, roteiro e montagem. A edição e finalização ficou por conta do Lucas Angeleti. E as filmagens por conta de Daniel Campanneli. A direção da produção musical também ficou na mão de d.E, que escreveu, cantou, captou, e mixou, enquanto Big Eddy masterizou e Flipe MRK fez o remake do beat que está no Spotify e demais plataformas. O refrão conta com vozes adicionais de Gabriel Hellison. A arte de capa é criação de Mayk Brambilla.

Você pode gosta

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações