Home DiscosAlbum Ahgave lança seu primeiro álbum “Calango do Cerrado”: faixas unem ativismo e ancestralidade
Ahgave - Calango do Cerrado

Ahgave lança seu primeiro álbum “Calango do Cerrado”: faixas unem ativismo e ancestralidade

por ZonaSuburbana

O álbum “Calango do Cerrado”, primeiro da carreira de Ahgave, foi  lançado em maio deste ano em todas as plataformas digitais. Não à toa, na data que também é celebrado o Dia Nacional do Reggae, uma das principais referências sonoras do artista. O trabalho demorou cerca de um ano para ser produzido e carrega ideias que atravessam camadas sociais e trazem para superfície diferentes tipos de assuntos coletivos.

O mato-grossense já é conhecido de longa data na cena do rap, reggae e outras vertentes da cultura marginal no estado. Entre as oito faixas, seis músicas e dois diálogos interlúdios e a sequência de introdução Calango do Cerrado, Pra Djá, Fiscal da Fé, Lápis Cor De Pele, Elite do Atraso, Previdência ou Morte, Dia De Corre e Cerrado Baile.

O clipe de “Pra Djá” estreou em fevereiro deste ano e aqueceu o público com as cenas. O enredo chamou atenção dos internautas e mostrou, logo de cara, originalidade e sintonia com os temas políticos da atualidade.

No álbum “Calango do Cerrado”, simplificou ideias, tirou gírias, rimas rápidas, palavras em outras línguas e tudo o que pudesse ser um ruído na comunicação com o público. “A intenção era que minhas músicas pudessem dialogar de um adolescente a uma senhora idosa. Para isso, tive que revisitar as composições, alterar letras e instrumentais. Isso refletiu num processo de autoconhecimento, me fez revisar pensamentos e ideias na vontade de me lapidar. Tudo isso para entregar o meu melhor”.

Por conta da pandemia, o MC teve dificuldade de encontrar profissionais que pudessem trabalhar no projeto. Foi quando assumiu mais de uma tarefa. Entre as funções assumidas por ele, a de produtor musical, produtor executivo, diretor de arte e músico compositor. “Foi à base de suor, sangue e lágrimas para dar conta das oito faixas, oito videoartes e um videoclipe”, diz.

O nome do álbum “Calango do Cerrado” é uma homenagem aos homens e mulheres que são reconhecidos por terem nascido ou morarem em regiões que possuem esse bioma, além de ser um “apelido de família”.

É o avô do artista quem protagoniza a capa do álbum. O ancião foi o escolhido para representar seus antepassados e outras pessoas que levam, ou já levaram, a mesma lida. Como um espelho, Ahgave se vê no ancestral, que, antes do músico, também era conhecido como calango.

A sonoridade do álbum transita entre o rap, reggae e dancehall. É possível escutar samples, melodias ou arranjos de músicas popularmente conhecidas como, por exemplo, Bam Bam de Sister Nancy, No No No de Dawn Penn e Rock Stone de Stephen Marley. Além dos clássicos, na primeira faixa do álbum, há uma mistura original entre reggae e lambadão, estilo popular de Mato Grosso.

A direção musical é de Ahgave que assina como Mato Groove e conta com co-produções instrumentais de Artur Lion, Lucas Méllow, Augusto Krebs, Laza e Dubalizer. Já nas participações, divide versos com Nega Lu, Kyanaju, Kessidy Sharamandaya, Luiz Góes e Supa Smile do Retumbo Sistema de Som. Direção de voz por Jefferson Neves, vozes captadas no estúdio de Xinn Beats, mixagem e masterização.

Texto: Mirella Duarte

Você pode gosta

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações