Home DiscosAlbum Senzala Hi-Tech comemora 10 anos com o disco “Represença”

Senzala Hi-Tech comemora 10 anos com o disco “Represença”

por ZonaSuburbana

Com uma década de carreira, a banda afrofuturista Senzala Hi-Tech reforça a união do rap com a cultura afro-brasileira em seu primeiro disco “Represença“, lançado no dia 9 de agosto em todas as plataformas digitais. Com forte questionamento político e social, a liberdade sonora na construção musical e o tom crítico e de contestação nas letras são as principais marcas do novo projeto do grupo formado por Diogo Silva (vocalista e compositor), MC Sombra (vocalista e compositor), Minari (produtor musical) e Junião (percussionista).

Com bases no rap futurista mescladas ao dub, samba, reggae e sons da África às Américas, o disco traz as influências musicais e culturais ainda mais condensadas com o objetivo de fazer uma música brasileira mais leve e dançante. “A ideia é unir esses ritmos e trazer um som novo, sem deixar de lado as nossas ideias e o que acreditamos. Vejo o Senzala não só como uma banda, mas como um instrumento de luta e comunicação em busca de equidade em um mundo cada vez mais injusto“, comenta Minari. “Tentamos trazer pra discussão não só a luta do povo preto, mas de todas as minorias que juntas se tornam maioria. Essa busca por união e vontade de quebrar paradigmas me mantem instigado a fazer parte desse projeto“, complementa o produtor.

Represença” conta com oito faixas, sendo quadro delas inéditas e as demais já antecipadas ao público desde 2018 (Chá das Cinco, Bozolândia, Mercadores da Meia Noite e Terra da Pilantragem). O disco tem como objetivo transmitir ao público a seguinte mensagem: “Desconfiem de soluções fáceis. Primeiro questione, depois reflita e depois questione novamente“. As músicas, escritas por Diogo Silva e MC Sombra, abordam a violência como geração de lucro, os mercados proibidos que socialmente são legais, a conjuntura política nacional e a liberdade do corpo. 

O Senzala é o resgate dos valores do homem negro com menos acesso dentro da sociedade, como a falta de acesso a formação educacional e adentrar ao ramo de trabalho mesmo depois de uma formação acadêmica. É a continuidade das nossas ancestralidades nas músicas afroculturalmente falando“, comenta MC Sombra.

Definida como uma grande mistura de tecnologia avançada nas produções musicais com o toque ancestral do tambor – cultura que faz parte de matrizes africanas – a banda Senzala Hi-Tech é fortemente influenciada pela música e pelas artes visuais da África às Américas. Na linha de frente com a percussão, mas também responsável pelas artes do grupo, Junião conta que o grupo vai além da mistura das batidas do hip hop aos diversos ritmos herdados de todos esses povos.

O disco conta com diversas participações como Duani (baixo e cavaco), Renata Jambeiro (voz), Raphael Gomes (violão), Didi (percussão), Daví Índio (baixo), Conrado Bruno (trombone de vara), Rodrigo Bento (sax barítono), Paulo Kishimoto (teclados), Natan Oliveira (trompete), Emílio Mizão (guitarra), Toca Ogan (percussão).  

Você pode gosta

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações