Home Editorial Rap, a primeira batida: Qual a diferença entre Rap e Hip Hop?

Rap, a primeira batida: Qual a diferença entre Rap e Hip Hop?

por Arthur Venturi Vasen

Bom, conversando com muitos amigos do Rap, o que a gente vê é que o movimento hoje no Brasil está bastante dividido: de um lado existe uma nova geração de pessoas curtindo rap mas que tem pouca preocupação com a história do Rap e do Hip Hop e, de outro, uma geração antiga de pessoas que curtem rap desde os anos 80 e tem pouca preocupação ou paciência em ensinar a nova geração e transmitir suas experiências e conhecimentos enquanto, ao mesmo tempo, tem pouco saco para ouvir os novos sons e, quando possível, critica e diz como é que o rap deveria ser de verdade. Para quem começou a ouvir rap a no máximo 5 ou 10 anos, isso é muito ruim: é um pouco a sensação de subir num ônibus que já estava andando a muito tempo antes de entrarmos e, muitas vezes, que começou a andar antes mesmo de nós nascermos.

Então começo esse Guia Introdutório ao Rap para passar um pouco do que ouvi, li e estudei sobre o Rap, o Hip Hop, as histórias desse som e desse movimento e os desenvolvimentos disso na história até os dias de hoje. A ideia é dar uma direção e algumas reflexões para que essa nova geração possa entender onde exatamente está entrando e que possa conversar com a galera antiga para poder de fato aprender com a experiência deles.

Mas voltando à pergunta do título da matéria: qual a diferença entre Rap e Hip Hop? São a mesma coisa? Um está dentro do outro? São dois estilos musicais diferentes?

O Rap é fácil: é um gênero musical que significa “Rythm And Poetry(Ritmo E Poesia), ou seja, é uma forma de poesia cantada a partir de um determinado ritmo. E disso a gente já consegue ver a presença de duas pessoas: o DJ, que a partir da sua criatividade e, muitas vezes, usando outras batidas e ritmos como inspiração, cria uma base musical; enquanto que o MC (o Mestre de Cerimônias) rima em cima dessa base criada pelo DJ, seja de forma de forma inusitada criando uma letra na hora (freestyle), seja escrevendo a letra antes e interpretando.

back-in-the-dayHip Hop já é um pouco mais confuso. Tudo começa quando o Afrika Bambaataa, um dos 3 principais DJs do Bronx entre os anos 70 e 80, disse que o Rap, o Grafite e o Break tinham a ver um com o outro já que os três retratavam problemas sociais dos ghettos negros da cidade de Nova York e dos EUA como um todo. Então Bambaataa resolveu fundar o movimento Hip Hop composto de 4 elementos: o Break, o Grafite, o Djeeing (a arte de ser DJ) e o MCeeing (a arte de rima sendo MC). Já nos anos 90 Bambaataa vai falar sobre o quinto elemento do Hip Hop: o conhecimento. Muita gente dirá, então que o Hip Hop é um movimento, enquanto outras pessoas dirão que ele é uma cultura (podemos falar sobre isso mais tarde).

O que causa confusão é que, lá para os anos 2000, a indústria fonográfica criou um sub-gênero também chamado Hip Hop (que muitas vezes a galera escreve usando um hífen: Hip-Hop) e que nós brasileiros costumamos chamar de Black. E esse gênero musical surgiu a partir de cantores e cantoras que nasceram dentro da cultura Hip Hop mas, ao invés de rimar, eles cantavam (como na música Pop) e também mudaram muito a batida tradicional do Rap. Em geral eles tem letras mais comerciais, mesmo que muito lutem pelas mesmas causas que a galera do Rap luta: contra o racismo, contra a violência policial, etc. É a diferença entre intérpretes como Jay-ZLil WayneLauryn Hill (todos do Rap), para intérpretes como BeyoncéRihanna Jason Derulo (que se dizem desse gênero Hip-Hop).

Enfim, para resumir tudo então: enquanto o Rap é um gênero musical, o Hip Hop pode tanto ser um movimento/cultura que engloba o Rap, quanto um gênero musical em si (Hip-Hop) e por isso é importante sempre prestarmos atenção à qual sentido de Hip Hop nós usamos para falar e ao sentido que as pessoas atribuem ao termo.

Quaisquer dúvidas, comentários ou discordâncias escrevam para nós nos comentários!

You may also like

3 comments

Álvaro 11/08/2017 - 16:27

Eu tenho 52 anos e posso lhe afirmar com a certeza dos meus ouvidos, da minha grande afinidade por música e da minha idade à época, que no Brasil e no mundo o Rap começou a ser ouvido por volta do ano de 1979 com os sons de Joe Bataan (“Rap-o-Clap”), Grand Master Flash (“The Message”), Kurtis Blow (“The Breaks” e várias outras) e Sugar Hill Gang (“Rapper’s Delight”). Estes foram os artistas que de fato apresentaram e popularizaram o rap e o hip hop para o mundo inteiro. Acredito que os autores citados no artigo tenham de fato criado, mas não eram tocados significativamente nas rádios, nas discotecas e nas danceterias do Brasil e do mundo nos anos citados. Eu sou testemunha auricular desses fatos e não conhecia, por exemplo DJ Kool Herc e garanto que não era conhecido e nem executado no Brasil naquela épóca. O Rap foi se modificando na década seguinte com Ice-T , Run DMC etc

Reply
Alinny 30/05/2019 - 11:01

obrigado por me confundir. kkk

Reply
VINICIUS KOZAKIE 24/08/2019 - 20:21

DJ Kool Herc FAZ PARTE DA TRIADE PATRIARCAL DO HIPHOP JUNTO COM BAMABATAAA E MASTER FLASH, NA REAL EU IDSCORDO UM POUCO POR UNS LADOS DO TEXTO MAS EM RELAÇÃO A HISTORIA, VIVO O HIPHOP COM O MOVIMENTO CULTURAL A MUITO TEMPO E CHAMAR HIPHOP DE MUSICA POR QUE OUTROS A CONSIDERAM NÃO É LEGAL, LEMBRO ME MUITO BEM NO PASSADO QUANDO TINHA MEDIA PLAY NOS PCS, QUE SEMPRE NO GENERO TINHA hIPhOP/ RAP OU HIPHOP & RAP DEVIDO RAP FAZER PARTE DESSE MOVIMENTO, EM RELAÇÃO A POPULARIZAR A PARADA DIVERSOS FATORES FORAM RESPONSAVEIS, NO BRASIL COM CERTEZA A DANÇA, OS FILMES E AS PESSOAS QUE TINHAM CONDIÇÕES DE SAIREM DO PAIS E VOLTAR PARA O BRASIL TRAZENDO ALGO PRA COMEÇAR A SE ESCUTAR OU AJUDAR A DESENVOLVER O NOSSO HIPHOP.

Reply

Leave a Comment

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações