Home Rap Nacional Monna Brutal lança clipe empoderado, “Bixa Papão (Putos Não Fodem)”

Monna Brutal lança clipe empoderado, “Bixa Papão (Putos Não Fodem)”

por ZonaSuburbana

A rapper Monna Brutal liberou o videoclipe de “Bixa Papão (Putos Não Fodem)”, faixa extraída do seu primeiro álbum “9/11” (ouça aqui).

Bixa Papão” é um som feito para exclamar o “Não-Poder” social a cerca dos corpos dissidentes. O termo “Bixa Papão” foi inspirado em uma lenda griot que circula desde o século passado , que fala sobre o “BixoPapão”. Que inclusive era usada como forma de chantagem emocional para com crianças. Até hoje ninguém viu o tal do “BixoPapão”, porém, tem sido cada vez mais frequente a aparição das “BixaPapão” pelos arredores do Brasil. De forma debochada e sombria, o termo é inserido no som, para remeter ao ouvinte a força que corpos que fogem da normatividade tem, e geralmente é desmerecida ou silenciada.

A música traz e enfatiza a questão de seres como um todo não serem mais dependentes ou sequer comandados por aquilo que o patriarcado dita. Temos nossos interesses, nossos corpos vivem, e o grito de revolta é apenas uma resposta a cerca de todo o ódio depositado na nossa população. Mais da metade da população Trans, trabalham nas ruas, o nosso país é o que mais mata corpos LGBT+ e principalmente TRANS.

Bixa Papão” é uma monstra criada pela cidade para assustar a cidade. Somos reais, e estaremos ocupando e trabalhando pra que qualquer corpo como nosso seja memorável, e respeitado.

O clipe “Bixa Papão”, produzido pela Quebramundo (Da Quebrada para o Mundo), assim como as letras carregadas de muita força da rapper Monna Brutal, traz o espectador para um universo distópico, onde ilustra a revolta e o revide das travestis que sofreram e sofrem com a imposição agressiva de corpos que exercem o machismo e que nos matam todos os dias. Além disso traz para a reflexão, a realidade das manas que se arriscam trabalhando nas ruas, para de alguma forma se manterem de pés em uma sociedade majoritariamente heteronormativa. Citando também a hipocrisia de corpos masculinos que estão apenas a procura de saciar seus prazeres sobre os corpos LGBTs e depois reproduzir seu ódio através de violência e morte.

Buscando trazer a imagem dessas mulheres em uma posição de ascensão, a fim de romper a imagem sobre os corpos LGBTs serem frágeis e impotentes.

You may also like

Leave a Comment

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações