Home Editorial Filha de sírios faz vídeo 100% feminista contra o estereótipos sobre o Islã

Filha de sírios faz vídeo 100% feminista contra o estereótipos sobre o Islã

por ZonaSuburbana

Por Chayma Mehenna

Mona Haydar tem 28 anos. Ela mora nos Estados Unidos, mas seus pais nasceram na Síria. Como a filha de imigrantes, ela geralmente sente que realmente não pertence a nenhum lugar. Haydar é criticada por ambos os lados.

Viver num país ocidental significa estar cercada por uma cultura que ameaça as tradições ensinadas a ela por pais que queriam preservar sua história e transmiti-la a qualquer custo. Esta é a história de Mona Haydar, mas também a história de inúmeros imigrantes.

Seus pais vieram para Michigan em 1960, e depois foram para Nova York. Seu marido, Sebastian Robins, se converteu ao islamismo antes de se casar com ela e, juntos, criaram o projeto “Ask a Muslim” em Cambridge, Massachusetts.

O objetivo do projeto é lutar contra a islamofobia (seguindo os ataques em Paris e San Bernardino, etc.), abrindo a conversa entre muçulmanos e não-muçulmanos.

Em Cambridge, eles têm um estande instalado na frente de uma biblioteca, onde eles oferecem café e donuts gratuitos e incentivam as pessoas a fazer perguntas sobre o Islã.

Você pode ser muçulmana, grávida, usar um hijab e também ser uma rapper

Agora, Mona está tentando outro método, mais visível, para combater estereótipos sobre o Islã. 27 de março foi o primeiro Dia Internacional das Mulheres Muçulmanas, uma iniciativa iniciada pelo site muslimgirl.com em parceria com vários sites de mídia.

Mona queria encontrar uma maneira de falar sobre o feriado e fazê-lo ressoar com as pessoas, na esperança de libertar as mulheres e combater a islamofobia. Ela decidiu colocar suas habilidades como poeta em direção à causa, misturando um flow de M.I.A. com o estilo de Beyoncé em sua primeira faixa, rap acompanhado pelo incrível vídeo acima.

Na música, Mona fala sobre a discriminação que as mulheres muçulmanas sofrem diariamente e os sentimentos que resultam dessas experiências. Não é fácil ser uma mulher muçulmana que hoje usa um hijab na sociedade ocidental.

Como o marido explicou em uma entrevista no site Fusion, ele realmente não entendia a islamofobia até casar com Mona. Às vezes, na rua, as pessoas olham para ela e perguntam como: “Como é seu cabelo?”. Eu aposto que é muito legal. Esse véu não faz você suar? Não é tão apertado?”

Cansada de ter que responder a perguntas como essa, Mona, que está grávida de 8 meses, transformou sua frustração em um rap, combinando letras inglesas com ritmo e instrumentação do Oriente Médio, cantando com orgulho: “Enrole meu hijab / Keep swaggin my hijabis”.

O vídeo é 100% feminino, provando que é possível ser moderno, elegante e criativo, e usar um hijab ao mesmo tempo.

A iniciativa brilhante surgiu contra as críticas, no entanto, algumas pessoas consideram o vídeo pecaminoso, porque acreditam que a música está proibida no Islã. Mas para os críticos, Mona simplesmente diz que eles não precisam ouvir a música, eles só podem assistir ao vídeo. Ela acrescenta: “Esta música é uma festa”.

Reportagem publicada originalmente no site Konbini.

You may also like

Leave a Comment

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações