Home Editorial Especial Mês da Mulher: Lauryn Hill – De New Jersey para o mundo

Especial Mês da Mulher: Lauryn Hill – De New Jersey para o mundo

por Adriana Moraes

Março, um mês no qual a figura feminina está em evidência. Foram anos lutando pela igualdade e parece que a cada dia esse objetivo vem chegando mais e mais perto de sua ideia inicial, porém ainda muita coisa precisa mudar.

Em 1917 após inúmeros casos de protestos e reivindicações em prol da liberdade e igualdade da mulher na sociedade, que o dia 8 de março foi enfim consagrado como Dia Internacional da Mulher. Um dia apenas é pouco quando falamos de lutar pelos direitos das mulheres serem o que quiserem, de terem seu lugar de destaque como qualquer outra pessoa, de conquistarem não só seu espaço, mas tudo o que desejarem. E é em homenagem a essa data tão importante para todas as mulheres do mundo, que o ZonaSuburbana decidiu iniciar seu novo projeto de Especiais.

Para o Mês Internacional da Mulher contaremos a história de 4 grandes nomes não só da música, mas de todo movimento feminista não só no Brasil, mas no mundo. De onde são, o que fazem, qual impacto causam na sociedade, quem são suas influências e todos os pontos importantes dessas 4 personalidades que representam muito bem o papel da mulher na sociedade como um todo.

Começando nosso especial, trazemos a história da filha de uma professora de inglês e um consultor de computação. Nascida em South Orange, New Jersey, damos olá a dona de uma das vozes mais belas da música negra, com vocês, Lauryn Hill.

Iniciando sua carreira aos 13 anos, Lauryn teve sua estréia interpretando uma canção de Smokey Robinson numa espécie de gincana no mítico teatro Apollo no Harlem, Nova Iorque, reduto dos artistas negros da cidade. Mesmo não tendo se saído bem em sua primeira aparição, Lauryn não desistiu. Antes de ingressar na faculdade de História, Lauryn atuou em 2 filmes, um deles ao lado da grande atriz Whoopi Goldberg. Além dessa passagem pelo cinema, Lauryn também integrou o grupo Fugges que fez grande sucesso na década de 90 e onde a cantora pode de fato mostrar ao que vinha, encantando a todos com sua voz embalada pelo ritmo do R&B, do blues e do Hip Hop.

No final da turnê do segundo álbum dos Fugees, Lauryn que estava com 21 anos descobriu que estava esperando seu primeiro filho. O pai da criança era Rohan, seu namorado, filho do ícone do reggae mundial, Bob Marley. Para se dedicar a maternidade, Lauryn decidiu se afastar um pouco dos palcos para cuidar de Zion, seu filho.

lauryn-hill-miseducation-thatgrapejuice

Capa do álbum, The Miseducation of Lauryn Hill

Voltando a cena em 1998, Lauryn lança seu primeiro e último álbum gravado em estúdio, o The Miseducation of Lauryn Hill que foi considerado um divisor de águas no R&B e no Hip Hop. Mesmo no meio de tantos rumores, o disco rendeu a cantora a venda de mais de 4 milhões de cópias e ainda garantiu 5 Grammys.

Em seu álbum MTV Unplugged 2.0 gravado em 2001  Lauryn expôs sua vida, seus sentimentos e frustrações. Com 13 canções inéditas, a cantora foi extremamente pessoal, falando sobre como se tornou prisioneira da fama, suas desilusões ao longo da vida e sobre sua nova fase, suas novas atitudes. O objetivo de Lauryn sempre foi fazer “música sincera”, que misturassem a integridade do reggar, a força do Hip Hop e a instrumentação do soul clássico.

Lauryn Hill Grammys

Lauryn Hill com seus prêmios no Grammy, em 1999

The Miseducation of Lauryn Hill teve um forte impacto sob o Hip Hop e o R&B, com ele Lauryn conseguiu derrubar barreiras para artistas negras, mostrando que mulher na música vai além de peito e bunda, elas são vozes.

O álbum ainda se caracteriza como um ato de feminismo sutil e sincero, uma das faixas do disco, intitulada The Zion, é uma homenagem da cantora ao seu primeiro filho.

Na época em que o disco foi composto, muitos disseram a Lauryn que ela precisaria escolher entre ter uma família e continuar sua carreira, e mesmo com toda pressão imposta pela sociedade, a cantora provou que é sim possível conciliar ambas responsabilidades, e que mesmo sendo mulher abaixar a cabeça para o sistema não é a única opção. A essência do álbum e de toda luta de Lauryn serviram de inspirações para grandes nomes da música atual como Beyoncé, Adele, Kanye West, entre outros.

Hoje Lauryn não divulga se podemos ou não esperar por um novo projeto, mas nos presenteia com algumas faixas surpresa esporadicamente. Sua última aparição pública foi no palco do programa The Tonight Show de Jimmy Fallon, que juntou a cantora com o nova voz do Hip Hop americano, The Weeknd.

 

You may also like

Leave a Comment

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações