Home Noticias Emicida revela participações especiais, capa e data de lançamento de “AmarElo”

Emicida revela participações especiais, capa e data de lançamento de “AmarElo”

por ZonaSuburbana

Desculpa a demora, de verdade

É dessa maneira que Emicida inicia a narração do vídeo que soltou hoje em suas redes. O rapper paulista ficou quase cinco anos sem entrar em um estúdio para gravar um trabalho completo, mas, agora, a obra está pronta. O vídeo entrega as participações especiais de “AmarElo” e também a data de lançamento do volume 1 (sim, serão duas partes): 30 de outubro. Com 11 faixas e produção assinada por Nave, o projeto chega aos aplicativos de música pela Laboratório Fantasma e com distribuição da Sony Music.

Três faixas de “AmarElo” saíram como singles (todos com videoclipes): “Eminência Parda”, a faixa-título “AmarElo” (part. Pabllo Vittar e Majur) e “Libre” (part. Ibeyi). Estes foram responsáveis por preparar o terreno e por exemplificar o experimento social proposto por Emicida no sucessor de “Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa…” (2015). Nessas faixas, o artista se preocupa, respectivamente, em: evidenciar de onde emana o poder verdadeiro; incentivar que as pessoas observem ao redor e se enxerguem maiores do que os seus problemas; e gritar pelo direito de poder viver, resistir e amar da sua forma.

Mais um detalhe chega a público nesse momento: a capa de “AmarElo”. Trata-se de uma imagem feita pela fotógrafa e ativista Claudia Andujar. “Tem criança de 8 anos sendo baleada pelo Estado“, introduz Emicida. “Ter três crianças indígenas na capa, num período em que estão vendo a sua cultura e o seu modo de vida ameaçados, é colocar como se estivessem encarando o Brasil dizendo: ‘sério mesmo? vai acontecer tudo de novo?“, explica. A outra inspiração foi a capa do disco Stakes is High, do grupo americano de rap De La Soul. O trabalho é tido, nos Estados Unidos, como uma fórmula anti-gangsta de se fazer rap. E “AmarElo” também tem muito disso. “O rap é compreendido por um estereótipo que é o mesmo dado às pessoas pretas, como a raiva e a pobreza. Muitas vezes, o discurso das músicas corroborou com isso. Por mais que a denúncia seja valiosa, ela achata a experiência e não faz justiça a tudo o que somos. Em AmarElo, a gente foge desse espectro previsível do que o rap pode ser“, finaliza Emicida.  

Confira também a tracklist e as participações de AmarElo:

1. Principia – com Pastoras do Rosário, Pastor Henrique Vieira e Fabiana Cozza
2. Ordem Natural das Coisas – com MC Tha
3. Pequenas Alegrias da Vida Adulta – com Marcos Valle (part. Thiago Ventura)
4. Quem Tem um Amigo (Tem Tudo) – com Zeca Pagodinho, Tokyo Ska Paradise Orchestra e Os Prettos
5. Paisagem
6. Cananéia, Iguape, Ilha Comprida
7. 9nha – com Drik Barbosa
8. Ismália – com Larissa Luz e Fernanda Montenegro
9. Eminência Parda – com Dona Onete, Jé Santiago e Papillon
10. AmarElo – com Pabllo Vittar e Majur
11. Libre – com Ibeyi

You may also like

Leave a Comment

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações