Home EditorialDinossaurosRAP Disco Rap: “MMII DC (2002 Depois de Cristo)” do 509-E

Disco Rap: “MMII DC (2002 Depois de Cristo)” do 509-E

por Jefferson Ferreira

Pega as taças, eu sirvo o vinho”, diz a música “Mile Dias”, uma das mais marcantes do segundo disco do grupo 509-E, formado por Afro-X e Dexter, da Vila Calux na periferia de São Bernardo do Campo, no ABC paulista. O álbum intitulado “MMII DC (2002 Depois de Cristo)” foi lançado em 2002 e sucede o “Provérbios 13”, do ano de 2000.

MMII DC” foi lançado pelo selo Só Rap, da gravadora Atração Fonográfica e teve produção realizada pelo próprio grupo, Afro-X já estava em liberdade, enquanto que Dexter ainda cumpria pena, mas o fato não foi barreira para que o 509-E lançasse um dos mais emblemáticos e importantes álbuns do rap nacional.

Além de “Mile Dias” que trás um clima de nostalgia, ao lembrar o Calux do passado, não só como lugar, mas das pessoas e histórias que fizeram parte da quebrada, o álbum traz a faixa “A Saudade Continua”, que vem como uma segunda parte para o enredo apresentado na música “Saudades Mil”, do disco “Provérbios 13”, onde Dexter troca correspondências com o mundo externo, traçando paralelo entre os momentos de liberdade e a rotina na prisão.

O grupo RZO também marcou presença no disco, participando da faixa “É Nóis”, que fala sobre união e ser a resistência sobre os infortúnios que a vida traz, num clima de maloca as duas bancas confraternizam nesse som. E destaque também para a música “Rainha do Lar”, dedicada as mães, como citado na introdução, nesse rap o grupo aborda todo o amor que u mãe tem por sua cria, enquanto narram paradas pessoais, vivências e aprendizados. Faixa que emociona.

O grupo 509-E não está mais junto, Afro-X segue sua caminhada no hip hop, enquanto que Dexter é um dos nomes mais celebrados na cena, a parceria entre os rappers começou antes mesmo do álbum “Provérbios 13” e do grupo 509-E, quando se chamavam Linha de Frente. Juntos fizeram essa importante obra que narra o sistema carcerário brasileiro sobre uma outra ótica, a do ser humano com saudade, remorso, arrependimento e querendo ter uma nova chance lá fora. Abaixo você confere esse trampo:

No YouTube:

No Spotify:

Você pode gosta

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se assim desejar. Continuar Mais informações